Por dentro da obra: Jardins da Ilha

O Jardins da Ilha é mais um prédio com qualidade MD que irá fazer parte do Recife. Localizado na Ilha do Retiro, o empreendimento hoje é a segunda maior obra em execução da empresa. No total serão 50 mil m² de área total a ser construída, tudo isso em um terreno de 8.826 m². Após uma breve pausa causada pela pandemia, entre os meses de março e maio de 2020,  as obras foram retomadas com todos cuidados de saúde e higiene - saiba mais aqui. Em outubro a obra retornou com 100% do efetivo, permanecendo as boas práticas adotadas no canteiro.MEIO  AMBIENTE O serviço de estaqueamento, concluído em maio de 2020, consumiu cerca 23km de perfis metálicos, o equivalente à distância de Recife ao município de Abreu e Lima. Para a implantação do empreendimento foi necessária a derrubada de algumas árvores que estavam no lote, que compensamos com as seguintes medidas:- Plantio de 15 mudas de árvore no lote;- Plantio de 110 árvores pelas ruas do Recife, com manutenção de um ano;- Doação de 580 mudas de árvores ao município, que serão plantadas a critério da Prefeitura do Recife.Com essas compensações, conseguimos a autorização ambiental da Prefeitura do Recife. Além disso, mantivemos preservadas todas as árvores do lote que não tiveram interferência na construção do empreendimento. ANDAMENTO DA OBRA O andamento físico do Jardins da Ilha no mês de março/2020 foi de 15% e em setembro acumulou 21,68%. Atualmente a obra está na fase de estrutura, dividida em duas torres: TORRE A  Estrutura - 18º laje (42%); Alvenaria de periferia - 10º tipo (25%) Contrapiso - 6º tipo (15%) Alvenaria Interna - 1º tipo (3%) TORRE B Estrutura - 9º laje (21%); Alvenaria de periferia - 2º tipo (5%) EXTRA-LÂMINA Fundação - 83% Estrutura - 8% PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Entre o pó, tijolos e pás, brota uma horta bem no canteiro do Jardins da Ilha. Com 42m², é mantida pela própria equipe. A iniciativa tem como objetivo estimular a alimentação saudável entre os colaboradores. Foram plantados vários tipos de temperos como pimenta, cebolinha, coentro e manjericão, além de tradicionais hortaliças como alface, couve e rúcula. Frutas como limão, acerola, melão e tangerina também estão sendo cultivadas. Esta é uma ação simples que não demanda muito investimento, mas que estimula os trabalhadores. Afinal, eles são os verdadeiros donos da horta: Podem usufruir de tudo que é produzido, podendo inclusive levar os produtos para casa.OBRA NOTA 10 A obra do Jardins da Ilha foi auditada pelo Ministério da Economia (antigo Ministério do Trabalho) e está totalmente regularizada, cumprindo todos os requisitos da legislação trabalhista vigente. A manutenção do canteiro de obras, documentação adequada e os processos corretos em segurança do trabalho garantiram esta conquista.

Mais informações

Aldeia/Pernambuco: conheça o novo bairro de Aldeia que é sinônimo de qualidade de vida

Você está em busca de um lugar para morar que lhe faça sair do caos urbano e ao mesmo tempo lhe ofereça qualidade de vida? Saiba que Aldeia/Pernambuco pode ser o lugar que você procura.Cada vez mais as pessoas vêm buscando novas opções de moradia para sair da vida agitada das cidades grandes.Viver próximo à natureza, com tranquilidade, pode influenciar diretamente a saúde e o bem-estar da sua família.Porém, um dos obstáculos para essa mudança de estilo de vida é justamente o problema de se viver longe da cidade. Quando você tem uma rotina e necessita de serviços rotineiros, acaba se tornando uma contramão viver longe dos centros urbanos.Em Aldeia/Pernambuco o sonho de se viver abraçado pela natureza e próximo a serviços passou a ser realidade! Nós separamos alguns benefícios pelos quais Aldeia tem sido tão procurada por famílias que buscam uma nova casa com tranquilidade e qualidade de vida. Confira agora!Descubra um oásis em meio à Mata AtlânticaSabe aquela casa de campo que você frequentava com a sua família para relaxar nos finais de semana? Já pensou em morar nessa casa? Agora é possível!Até há poucos anos atrás, o bairro de Aldeia era conhecido por ser um lugar onde as pessoas passavam os finais de semana com as suas famílias. Mas essa realidade mudou.Muitas pessoas que tinham casas de veraneio para os finais de semana passaram a ver esse imóvel como uma possível residência já que a região foi se desenvolvendo e oferecendo também serviços que só se poderiam encontrar na cidade.Com 25 mil habitantes atualmente, Aldeia/Pernambuco conta com uma reserva natural de cerca de 7 mil hectares de mata atlântica, a maior faixa contínua acima do Rio São Francisco.Por isso, você realmente pode viver abraçado pela mata atlântica com a tranquilidade e o conforto de morar em harmonia com a natureza.Viva bem pertinho da natureza com serviços ideais para a sua família em Aldeia/PernambucoVocê já não precisa mais estar longe da cidade para ter uma vida tranquila!Devido ao desenvolvimento da região de Aldeia/Pernambuco, serviços que antes não eram encontrados na localidade já se fazem presentes na rotina daqueles que optaram por viver nesse paraíso.Se você busca qualidade de vida sem precisar abdicar dos serviços da cidade, Aldeia já possui essa comodidade com supermercados, academias de ginástica, pontos de comércio, restaurantes, escolas internacionais, e em breve cinemas.Encontre praticidade para a sua rotinaE se você conseguisse ter a tranquilidade de viver junto da natureza, mas também a opção de poder ir à praia ou curtir um domingo no shopping com a família?Agora você consegue trazer acessibilidade para a sua rotina. Vivendo em Aldeia/Pernambuco, você está há apenas 40 minutos de carro do Recife.Imagina passar uma dia relaxando em casa com a família e sair final de tarde para ir ao cinema ou brincar com as crianças em um parque de diversões, por exemplo. Para muitos essa seria a vida ideal, e em Aldeia/Pernambuco ela é possível!Encontre a estrutura certa para sua qualidade de vidaMas se Aldeia/Pernambuco é uma área de preservação como é possível ter a estrutura ideal para se viver com comodidade e segurança?Devido ao fato de que as pessoas têm procurado cada vez mais um estilo de vida que Aldeia pode oferecer, construtoras e imobiliárias vêm olhando para essa região com outros olhos.Essas empresas estão levando para a localidade ótimas opções de empreendimentos abraçados pela natureza e com toda a segurança para que você e a sua família possam alcançar a qualidade de vida ideal.Atualmente, na região, você pode encontrar condomínios-clube com infraestrutura totalmente voltada para o seu bem-estar.São complexos aquáticos, quadras poliesportivas, salas de ginástica, sauna, ciclovias, playground, playkids, horta comunitária, pomar comunitário, segurança 24h, entre outros diferenciais para todo o seu conforto e tranquilidade.Além do mais, a estrada principal de Aldeia/Pernambuco lhe dá o acesso para a rodovia federal onde você pode ter passagem direta tanto para a zona norte quanto para a zona sul do Recife.Todo o acesso à Aldeia é pavimentado e com a infraestrutura que possibilita o seu ir e vir para o bairro sem dificuldades.Não abra mão do seu bem-estarVocê já sabe onde você pode realizar o seu sonho de viver em tranquilidade com todo o conforto necessário, não é mesmo?A região de Aldeia/Pernambuco é o lugar ideal para você e a sua família construírem a casa do seus sonhos com uma qualidade de vida que poucos conseguem alcançar. 

Mais informações

Casas maiores, escritórios menores: pandemia revoluciona mercado imobiliário

Cerca de 35% das empresas venderam em negociações durante a pandemia, mostra pesquisa de mercado.SÃO PAULO – O mercado imobiliário foi impactado pela pandemia de coronavírus, mas o tom entre os especialistas é otimista em relação aos efeitos que a crise pode trazer.Entre as mudanças mais significativas, está um processo reverso ao que vinha sendo observando: “se antes a tendência era a diminuição de espaços e de vivência em espaços compartilhados, a pandemia exige o oposto: espaços maiores e mais confortáveis, já que as pessoas passam muito mais tempo dentro de suas respectivas casas e estão sentindo falta de uma varanda, de um escritório bem estruturado e vão querer mudar”, afirmou Fábio Tadeu Araújo, sócio Dirigente da Brain Inteligência Estratégica, durante a live mediada pelo professor do InfoMoney, Ricardo Reis, nesta segunda-feira.Também participaram Giancarlo Nicastro, CEO da Siila Brasil, Fernando Didziakas, Sócio da Buildings, Thomaz Assumpção, da Urban Systems, Fábio Tadeu Araújo, sócio Dirigente da Brain & Guilherme Werner, Marcus Araujo, CEO e Fundador da Datastore, Cristiano Rabelo, CEO da Prospecta Inteligência Imobiliária e Danilo Igliori, economista chefe do Grupo ZAP e Chairman da DataZAP – Inteligência Imobiliária. Assista à mesa redonda completa no vídeo acima.Segundo Fábio Tadeu Araújo, é preciso se atentar à s tendências demográficas a partir de agora. “As grandes cidades do Brasil já possuem, em sua maioria, famílias de no máximo três pessoas. O futuro do mercado imobiliário vai ser se adaptar à relação entre compartilhamento e redução espaços e viver em ambientes maiores e de mais qualidade”, afirma.Home officeFernando Didziakas, Sócio da Buildings, que monitora principalmente escritórios corporativos, afirma que, segundo uma pesquisa da empresa, 80% das empresas de SP acreditam que a partir de agora terão escritórios menores. “E isso é um processo: casas maiores, escritórios menores. Vamos observar uma redução da metragem da empresa e uma melhora na qualidade do home office, que vem funcionando”, diz.Thomaz Assumpção, da Urban Systems, também acredita que a mudança de comportamento terá forte impacto no mercado imobiliário.“Tudo vai mudar e vamos viver de forma mais integrada e buscando mais qualidade, o valor das coisas vão aflorar e isso vai trazer significado. Por isso, nosso olhar para a cidades tem sido no desenvolvendo bairros planejados, cujos produtos são sistêmicos e complementares e incluem varejo, hotelaria, residencial, escritórios, vários segmentos. Produtos de nicho vão surgir, vamos diminuir a mobilidade urbana e isso vai trazer uma nova logística mais fragmentada. Temos que monitorar o processo do novo ciclo [do mercado imobiliário].Vendas na criseUma pesquisa conduzida pela Brain Inteligência e mais parceiros, mostra que 56% das empresas de incorporação venderam durante a crise. “Desse total, 60% foram vendas derivadas de uma negociação iniciada durante a pandemia. Ou seja, podemos dizer que cerca de 35% das empresas venderam em negociações durante a pandemia, o que indica que com certeza existe venda neste momento”, afirma Araújo.Segundo ele, isso é reflexo da preparação das empresas, já que o mercado imobiliário vinha se recuperando da crise de 2014. “As empresas estão mais preparadas para vender digitalmente e contatar digitalmente, se essa pandemia tivesse acontecido quatro, cinco anos atrás o impacto teria sido muito maior. Muitas empresas estão avançando para oferecer a jornada de compra do imóvel 100% online”.Guilherme Werner, sócio da Brain Inteligência Estratégica, informa que, paralelamente, uma pesquisa mensal com 600 consumidores feita em abril mostra que 20% deles têm a intenção de compra de um imóvel novo.“É natural que diante do cenário que vivemos que essa intenção seja postergada, mas também o encolhimento não denota um pânico, apenas um receio prudente”, diz.Ainda, nessa mesma pesquisa, na edição de março, 1% dos entrevistados tinha acelerado a compra de um imóvel por conta da pandemia. Em abril, o número subiu para 5%. Para Verner, os motivadores são de necessidade e não desejo, mas já é um sinal positivo.Recuperação do setorSobre a recuperação de fato do setor, ainda há um caminho a ser percorrido. Segundo Cristiano Rabelo, CEO da Prospecta Inteligência Imobiliária, é difícil prever algo em um cenário como o que estamos passando e acredita em uma recuperação de médio prazo com a ajuda da internet.“Hoje, não chegamos nem perto dos números da gripe espanhola, por exemplo, mas temos um fator a mais: a tecnologia. Ela tem capacidade de propagação de incerteza muito grande, ao mesmo tempo que tem a capacidade de reestruturação muito maior. Ou seja, o ponto de retomada pós pandemia vai acontecer embora no médio prazo no setor. A depender, claro, das regiões que sofreram mais com a crise. O mercado imobiliário deve ser analisado de maneira local, microrregião por microrregião”, diz.Segundo ele, empreendimentos de baixo padrão, por exemplo, têm tendência à inadimplência pela perda da capacidade de compra de muitos brasileiros de baixa renda,” mas o reflexo é pontual. “As cidades diversificadas economicamente não se veem um aumento de inadimplência brusco, enquanto regiões que vivem de indústrias e comércio são severamente mais afetadas”, explica Rabelo.Danilo Igliori, economista chefe do Grupo ZAP, afirma que analisa o momento sob três perspectivas: choque, transição e o novo ciclo. “Hoje estamos no choque e vai durar enquanto não tivermos controle da economia e enquanto não tivermos o tamanho do custo de econômico para lidar com a crise. A principal característica do choque é a enorme contração da demanda junto com a contração da oferta”, diz.E explica: “o choque negativo na demanda contrai a quantidade de transações e também contrai os preços, enquanto o choque negativo na oferta contrai as transações também, mas faz o preço subir. Somados, o resultado inequívoco é o de diminuição de transações [compra e venda de imóveis], mas o preço fica relativamente fixo, porque um anula o outro. É o que estamos vendo, preço não teve muita alteração. E agora só o essencial importa e qualquer decisão que pode ser postergada assim será”, afirma.Marcos Araujo, CEO e Fundador da Datastore, acredita que o mercado imobiliário está mais resiliente hoje. “Todo mundo saiu muito castigado da crise [gerada pelo] impechment e mudanças interessantes foram promovidas, incluindo corpo de funcionários mais enxuto e terceirização de muitas atividades. Por isso, [o setor] entrou nessa crise já imaginando que não haveria uma explosão de lançamentos em 2020. A grande maioria dos incorporadores acreditava em ano muito bom, mas sem explodir a oferta”, explica.Por isso, segundo ele, o setor está atravessando a crise com dificuldades, mas sem impactos muito severos por enquanto. “O foco será fazer os lançamentos [já previstos] serem os melhores, com os melhores terrenos e projetos. A surpresa foi a digitalização, mas há estrutura”, afirma.Shoppings: hubs de distribuiçãoGiancarlo Nicastro, CEO da Siila Brasil, afirma que o setor vem enfrentando muitas dificuldades. “Mesmo com cerca de 70 reabertos no Brasil, nem todos com todas as lojas abertas, a ocupação representa 20% a 30% do que os shoppings costumavam ter. Além disso, as áreas de entretenimento serão as últimas a serem liberadas, incluindo vallet, cinema, e praça de alimentação. É um segmento que precisará se reinventar”, afirma.Para ele a solução de curto prazo com o objetivo de sobreviver será a transformação dos shoppings em hubs de consumo. “Os shoppings se adaptam facilmente e uma das saídas é virar o chamado ‘last mile’, que serve como alternativa do ‘self storage’. Passar a ser um distribuidor em microrregiões. Os shoppings têm espaço e localização, então, se tirar as pessoas de dentro, continua tendo espaço e distribui de forma mais rápida. Vai ser a saída para a sobrevivência”, afirma.PUBLICIDADE

Mais informações

Entenda a influência da taxa Selic na compra de imóveis

Entenda a influência da taxa Selic na compra de imóveisÉ fácil ver a influência da taxa Selic na compra de imóveis, seja por meio do seu aumento, por sua queda e até suas interferências na inflação e economia brasileira como um todo, afetando também o� mercado imobiliário.Para entender melhor, a taxa Selic — sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia — é o cálculo básico dos juros usado pela economia brasileira. Ela é paga pelo governo à s instituições financeiras quando realizam empréstimos e outros serviços bancários.Além disso, ela é utilizada pelo Estado para controlar a emissão, compra e venda de títulos públicos, uma vez que é regulada pelo Banco Central — com índices estabelecidos pelo Comitê de Política Monetária (Copom).Assim, ressalta-se a importância de atentar-se a ela, pois, além disso, é o índice que delimita, indiretamente, todas as taxas cobradas pelos bancos. Para esclarecer os pontos essenciais sobre o tema, escrevemos este post para lhe auxiliar a escolher um bom imóvel. Fique conosco!Impulsionamento da queda da taxa Selic na compra de imóveisA taxa Selic influencia a� compra de imóveis� de forma direta. Isso porque, quando seu índice está baixo, os juros bancários para financiar, em regra, reduzidos, impulsionam o mercado imobiliário, haja visto que as pessoas interessadas na aquisição de uma casa ou apartamento realizam empréstimos para tal ou empregam uma renda aplicada.Essa situação ilustra o cenário atual do Brasil em relação à baixa da taxa Selic, a qual facilitou a compra de inúmeros imóveis nos últimos anos. Observa-se que, segundo pesquisa da� Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), publicada em setembro 2017, houve um crescimento do mercado imobiliário, com aumento da criação de empreendimentos e vendas por consequência.Assim, o panorama otimista — provocado pela taxa Selic na compra de imóveis — produz a sensação de segurança e encorajamento nos clientes, que conseguem adquirir propriedades imobiliárias sem comprometer grande parte do orçamento familiar.Ocorre que a queda da Selic devolve o poder de compra aos consumidores gradativamente, sendo usado para a aquisição de um imóvel. Não apenas, acontece que esses consumidores se tornam mais fortes economicamente, o que atrai investidores para a economia brasileira e o mercado imobiliário.Em casos de alta da Selic, a compra e venda de imóveis ficam prejudicadas. Imagine que uma pessoa vem guardando dinheiro com o intuito de adquirir uma moradia. Chega o momento em que ela escolhe o banco e vai fazer o financiamento e a taxa Selic aumenta. Isso vai fazer com que o valor das prestações desse empréstimo fique alto.Assim, todos os projetos vão acabar sendo esquecidos e serão retomados somente com a queda da taxa de juros, por propiciarem o momento ideal para a aquisição do imóvel.Interferência da taxa Selic na inflaçãoUsada como instrumento de política econômica pelo Governo Federal, a taxa Selic pode ser manipulada a fim de evitar a perda do poder de compra do Real, moeda nacional. Quando o Poder Público decide diminuir a inflação, por meio do Banco Central, ele aumenta essa taxa com o objetivo de limitar a concessão de crédito e frear o consumo da população.Diante disso, a lei da oferta e da procura cai, além dos preços das mercadorias, as quais são menos negociadas, resultando na diminuição da inflação.Por outro lado, se a inflação está baixa, a economia está desacelerada. Isso faz com que o Banco Central diminua a taxa Selic, para que os títulos públicos passem a custar menos e os bancos sejam obrigados a procurar uma rentabilidade segura, oferecendo mais crédito as pessoas.Enfatiza-se que a emissão desses títulos resulta da necessidade constante do Estado de angariar dinheiro, com a finalidade de administrar a máquina pública, fazendo-o por meio do investimento nestas fontes de renda.Com a venda dos títulos públicos para os bancos, podem controlar sua valorização e interferir na economia. É notório que a taxa Selic é uma arma estatal de combate à inflação, uma vez que há o controle dos preços dos bens.Logo, com o crédito concedido, as empreiteiras podem investir em novas construções, uma vez que a baixa da Selic atinge os preços dos materiais de usados nas obras. A maior vantagem é para aqueles que desejam obter terrenos para construção própria ou imóveis ainda na planta.Não obstante, o cliente também se beneficia dessa diminuição, podendo concretizar o sonho de conquistar sua moradia, sem comprometer toda a sua renda mensal.Influência positiva da taxa Selic na economia brasileiraQuando em patamares baixos, a taxa Selic influencia positivamente a economia e o mercado de imóveis, tendo em vista que incentiva a ocorrência de negociações imediatas e possibilita novas transações imobiliárias a longo prazo, com valorização de casas e apartamentos. Aqui a venda financiada é privilegiada, aquecendo o mercado e proporcionando aumento nos investimentos para lucro futuro em compra de imóveis.Todavia, o aumento da taxa Selic, apesar da diminuição da compra por maior parte da população, beneficia aqueles que querem adquirir imóveis à vista, já que, pela lei da oferta e da procura, com pouca demanda vai haver grande oferta de propriedades mais baratos para quem é investidor.De fato, é notório que a taxa Selic na compra de imóveis é determinante para o crescimento ou declínio do mercado mobiliário. Quanto menor essa taxa for, maior vai ser a aquisição ou� locação� de imóveis pela população. Se a Selic estiver alta, somente compras à vista serão privilegiadas — o que não é comum de acontecer — as transações imobiliárias e podem diminuir.Além disso, ressalta-se que, apesar das explicações deste post, na ânsia de investir em negociações de imóveis, quem sonha com uma nova moradia, seja própria ou aluguel, pode se complicar com questões burocráticas referentes à taxa Selic.Dessa forma, é importante contar com a ajuda de profissionais qualificados que acompanham suas alterações e são capazes de analisar qual o melhor momento para fazê-lo, a fim de que o comprador tome a decisão mais acertada, alcance boas condições contratuais e economize dinheiro.Gostou dessas informações? Se você ainda tem dúvidas sobre a influência da taxa Selic na compra de imóveis, entre em� contato conosco

Mais informações

Moura Dubeux apresenta o Edf. Arthur Bruno Schwambach

Empreendimento será erguido em Casa Forte e tem assinatura de Carlos Fernando Pontual.A Moura Dubeux lança um projeto diferente de tudo que já foi apresentado. Estamos falando do Edf. Arthur Bruno Schwambach, o mais novo residencial do bairro de Casa Forte, Zona Norte do Recife.  O futuro residencial será erguido na Av. 17 de Agosto, preservando um casarão histórico. No total serão 4 edifícios com 7 pavimentos cada, totalizando 59 unidades integradas a um terreno com 4 mil m² de área verde. Para explicar todos os detalhes deste projeto inovador, a Moura Dubeux promoveu uma apresentação especial do arquiteto Carlos Fernando Pontual para corretores e parceiros. "Viver aqui será como morar em uma casa, com muita área verde e poucas unidades", afirma. Os apartamentos terão 181m², 4 suítes, suíte master com closet, varanda gourmet e segunda varanda e ainda 3 vagas na garagem. A planta pode ser personalizada pelo cliente: será possível incorporar as varandas à planta, caso o cliente deseje. “Quando fazemos um projeto de uma casa, fazemos o projeto especificamente para aquela pessoa. Quando fazemos um prédio imaginamos que vários perfis irão ocupar aquele espaço, então temos que fazer um projeto neutro, que adapta-se a qualquer forma. O projeto tem que favorecer as modificações que porventura o futuro morador deseje fazer”, explica o arquiteto Carlos Fernando Pontual. "Estamos falando de um terreno único com 7mil m², no coração de Casa Forte, com baixa densidade e um projeto assinado por arquitetos que são referência em todo o Brasil", afirma o acionista da MD Gustavo Dubeux.A área de lazer será entregue equipada e decorada, com projeto assinado por Romero Duarte. Além disso o projeto terá placas solares instaladas, tomadas para carro elétrico no estacionamento, prevendo o uso de veículos elétricos. Piscina aquecida, salão de festas, espaço gourmet, academia, bicicletário, oficina para bicicletas, coworking, minicampo, brinquedoteca, brinquedoteca externa, pet place, pet wash, guarda volumes e ponto de embarque e desembarque de transporte por aplicativo fazem parte dos diferenciais. Todas as áreas comuns internas serão climatizadas. já o casarão preservado promoverá a integração do empreendimento com o bairro.A artista pernambucana Dani Acioli, que leva Casa Forte como sua inspiração diária, foi convidada pela Moura Dubeux para para criar a Identidade Visual do Arthur B. Schwambach, trazendo assim a essência, valores e estilos do bairro para a criação.Clique Aqui e saiba mais sobre este projeto único !

Mais informações

Lançamento da TORRE 5 no Rio Mar Trader Center 5

APÓS O LANÇAMENTO DO RIOMAR TRADE CENTER 4, O GRUPO JCPM FAZ O LANÇAMENTO DA ÚLTIMA TORRE TOTALMENTE INTEGRADA AO RIOMAR SHOPPING O RIOMAR TRADE CENTER 5A NOVA TORRE FOI CONCEBIDA PARA ATENDER AOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUE PROCURAM CONFORTO, MODERNIDADE, FLEXIBILIDADE E SERVIÇOS EM UMA EXCELENTE LOCALIZAÇÃO COM A QUALIDADE E INOVAÇÃO DO GRUPO JCPM.TOTALMENTE INTEGRADO AO RIOMAR, COM MAIS DE 7 MIL VAGAS DE ESTACIONAMENTOO RioMar Trade Center 5 apresenta deferenciais que ajudarão a otimizar a sua rotina e dos clientes com todas as facilidades que o shopping oferece: segurança, amplo estacionamento, restaurantes e lanchonetes, academia de ginastíca, alameda de serviços, mix variados de lojas, cinema, teatro, diversões eletrônicas e boliche, entre outrosSalas a partir de 26m²Salas Corporativas com 400m² e 800m²Lobby e Foyer com amplo espaço e pé direito duplo5 Salas de reunião e 3 Salas de convenções, sendo 2 moduláveis, entregues climatizadas e com tratamento acústicoDocas de serviços com acessos exclusivos

Mais informações

Recebendo homenagens no dia do corretor de imóveis !

Foi com imensa alegria que fomos homenageados pela construtora Rio Ave , no dia do corretor de imóveis.Gratidão pelas surpresas e presente recebidos.

Mais informações

Complexo RioMar terá novas torres empresariais !

O GRUPO JCPM SEGUE FIRME NO PROPÓSITO DE INVESTIR NO ESTADO E ANUNCIA O SEU MAIS NOVO EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO: RIOMAR TRADE CENTER 4, TOTALMENTE INTEGRADO AO RIOMAR RECIFE.A NOVA TORRE FOI CONCEBIDA PARA ATENDER AOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUE PROCURAM CONFORTO, MODERNIDADE, FLEXIBILIDADE E SERVIÇOS EM UMA EXCELENTE LOCALIZAÇÃO COM A QUALIDADE E INOVAÇÃO DO GRUPO JCPM.A NOVA TORRE FOI CONCEBIDA PARA ATENDER AOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUE PROCURAM CONFORTO, MODERNIDADE, FLEXIBILIDADE E SERVIÇOS EM UMA EXCELENTE LOCALIZAÇÃO COM A QUALIDADE E INOVAÇÃO DO GRUPO JCPMTOTALMENTE

Mais informações

Veja como funciona o cálculo para definir o valor do aluguel de um imóvel

Veja como funciona o cálculo para definir o valor do aluguel de um imóvelMeu Site Imobiliário22/07/2019Dicas, Locação, Mercado ImobiliárioCompartilhar no facebookCompartilhar no googleCompartilhar no twitterCompartilhar no linkedinCompartilhar no whatsappÉ preciso considerar questões básicas sobre o imóvel, mas também vizinhança e situação do mercadoOferta e procura são os principais fatores que definem o preço médio do aluguel de um imóvel, portanto a pesquisa de mercado na região é fundamental para encontrar o valor. Mas também devem ser considerados a proximidade com transporte público, escolas, comércio e infraestrutura geral, assim como a avaliação da unidade, que deve ser feita pelo corretor de imóveis.“Nos fatores internos que contribuem para agregar valor à locação está incluída a não necessidade de reformas, ou seja , que o imóvel esteja em boas condições de se habitar. O gasto de imediato não é nem um pouco atraente para a locação”, afirma o diretor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Rio de Janeiro (Creci-RJ), Laudimiro Cavalcanti.“Já falta de segurança, escolas e hospitais são fatores que dificultam a locação e contribuem bastante para diminuir o preço. “O principal erro na hora de decidir o valor do aluguel é deixar de considerar as pesquisas realizadas na região e partir de um preço acima do ofertado”, diz Cavalcanti.Veja as dicas do perito em avaliações imobiliárias Wagner Nogueira:O que define o preço do aluguel?Localização (infraestrutura da região), estado do imóvel, ofertas na região, valores dos encargos, vagas de garagem, idade do imóvel e mobília.O que pode diminuir o valor?Imóvel mal conservado, rua barulhenta ou algum outro problema na vizinhança, sem vaga ou vaga de difícil acesso.E o que agrega valor?Bom acabamento ou modernização, vizinhança privilegiada, infraestrutura da região – metrô, escolas, supermercados etc.Quais itens do condomínio podem aumentar o valor do aluguel?Monitoramento, segurança, lazer, comodidade e limpeza.Qual o principal erro na hora de decidir o valor do aluguel?Se basear no aluguel anterior e não consultar um corretor de imóveis.Fonte: ZAP em Casa

Mais informações

Consórcio Novo Recife - TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O NOVO RECIFE

01 - É pra admirar e se encantar65% de todo o terreno será da população, que vai ganhar parques novinhos em folha, com muito verde, ciclovias e espaços de convivência. São nada menos do que 65.000 m² de área, dentre as quais 16 mil m² só de área verde. A maravilhosa vista da Bacia do Pina é parte do Recife e continuará sendo dos recifenses.02 - Uma nova forma de viver o RecifeHoje em dia, quem caminha ou pedala pelo Cais José Estelita se arrisca entre os carros na hora de subir o Viaduto das Cinco Pontas. Nas etapas futuras do Projeto Novo Recife o viaduto será demolido, dando lugar a uma rotatória de carros. Assim quem caminha ou pedala para o Recife Antigo vai contar com uma nova via arborizada com vista para o Rio Capibaribe, partindo do Cabanga até o Marco Zero. É mais mobilidade para chegar no Recife Antigo!03 - História e modernidadeA gente olha para o futuro sem esquecer do passado. o projeto Novo Recife prevê a preservação de um conjunto de galpões próximo ao Viaduto das Cinco Pontas além das antigas casas dos funcionários e a oficina de eletrotécnica. Esses espaços serão administrados pelo poder público e pela iniciativa privada, ou seja, vão ser transformados em museus, cafés, comércio… E quando o viaduto for demolido, vai dar pra ver o Forte das Cinco Pontas da beira do rio.04 - Paredão não!Chega de grades e muros separando os prédios da cidade. Todos os empreendimentos do Projeto Novo Recife vão ser integrados ao parque. Na primeira etapa, inclusive, os 3 edifícios serão cercados por um lindo espelho d'água que vai compor a paisagem.05 - Modelo de urbanismoAs cidades estão mudando e a gente quer ser um exemplo disso. O Novo Recife terá calçadas com cinco metros de largura efiação embutida, pra você ver a paisagem, e não os fios. Tudo de acordo com os conceitos urbanísticos mais avançados do mundo.06 - Respeito à cidadeOs 13 edifícios que irão compor o projeto Novo Recife respeitam a paisagem urbana. As edificações que ficam mais próximas do bairro de São José terão uma altura bem menor, de 12 pavimentos, além de um recuo de 50 metros em comparação com os primeiros edifícios que ficam próximos ao Cabanga Iate Clube. Tudo para não perdermos a total vista do centro histórico.07 - É sustentávelTodos os edifícios terão telhado verde e as águas das chuvas serão reutilizadas para irrigação do parque e melhoria do ambiente no entorno.08 - É socialAs construtoras que fazem parte do Projeto Novo Recife assumiram um compromisso sério: construir 200 moradias de interesse social bem próximo do complexo urbanístico, a cerca de 300 metros do projeto.09 - É mobilidadeQuem anda pelo Centro do Recife sabe: a Avenida Dantas Barreto termina em um “paredão”. Todo o bairro de São José, aliás, tem poucas alternativas viárias. É aí que entra mais um benefício para a população. A avenida será conectada com o Cais José Estelita. É menos trânsito e mais integração para a cidade!10 - É de uso mistoTodos os edifícios do Novo Recife serão de uso misto, ou seja, com comércio e serviços no térreo. Dá para fazer compras com uma vista privilegiada do parque e da Bacia do Pina. E tudo isso sem paredões ou grades.11 - É empregoLogo na primeira etapa do Novo Recife já vão ser gerados 500 novos empregos. Assim que o complexo ficar pronto, serão gerados mais de 2000 novos postos de trabalho diretos e indiretos. Uma ótima oportunidade para quem vive na região.

Mais informações

Conheça o Habite-se, um dos documentos mais importantes para empreendimentos imobiliários.

Na hora de comprar um imóvel, uma pergunta é comum em meio ao processo de negociação: o empreendimento tem o Habite-se? Pode soar apenas como uma mera formalidade, mas não é e essa documentação se torna bastante importante para quem vai adquirir um apartamento.Este é o documento expedido pela prefeitura da cidade onde o condomínio está localizado após as fiscalizações necessárias e atesta a conclusão da obra. Ou seja, ele serve como uma garantia de que a construção seguiu o projeto pré-estabelecido e também é importante porque tem uma série de questões relacionadas a ele, inclusive quando se trata do financiamento imobiliário. Saiba o que é o Habite-se e para que ele serve.Durante a construção, o empreendimento está registrado no cartório de registros como uma obra e, a partir da liberação do Habite-se e o registro dele no cartório, fica definido que este cenário está encerrado e que agora o edifício se tornou residencial e que os apartamentos podem ser ocupados. Para garantir o documento, é preciso que seja feita uma série de avaliações.“Existem regras e uma delas é que a prefeitura precisa fazer uma fiscalização para analisar se o projeto foi executado de acordo com o que estava previsto. Se o construtor fez diferente, tem que aprovar novamente porque, ao construir do zero, erros podem acontecer. Mas hoje em dia, com a qualidade que existe na parte topográfica, é difícil de sair algo errado”, explica Thiago Melo, vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE).Além disso, é necessária também uma fiscalização dos Bombeiros e que as ligações de energia e água estejam feitas para a emissão do Habite-se. E para o registro no cartório, também há outras exigências.“É preciso apresentar a certidão de quitação do INSS para provar que não houve funcionários que trabalharam sem carteira assinada. Pelo tamanho da obra e quanto tempo ela demorou, faz o balanço de quanto deveria ser recebido e faz um cruzamento com o que foi pago. O Habite-se sai se a obra foi executada com trabalho regularizado”, ressalta.O Habite-se também é fundamental para o consumidor que deseja comprar um imóvel no empreendimento. Principalmente para os que vão fazer um financiamento imobiliário.“Efetivamente, o bem só é considerado construído a partir do Habite-se e é a partir dele também que os bancos financiam. Eles só pagam o saldo para o cliente com o documento, é uma exigência para pagar para a construtora. Os bancos consideram que enquanto ainda está em obra ou não tem o Habite-se, há o risco de a construção não terminar. Mas quando tem a documentação, a carta de crédito pode ser liberada, o pagamento é feito à construtora e a dívida passa a ser entre o cliente e o banco”, detalha.Outro ponto que Thiago Melo ressalta para que os clientes tenham atenção diz respeito ao IPTU. “Enquanto está em obra, é o IPTU do terreno e que deve ser pago pela construtora. Mas a partir do Habite-se, o imposto passa a ser cobrado das unidades. É um marco importante de fim da obra”, conclui.Fonte: Zap Imóveis

Mais informações

Mais um grande lançamento da Gabriel Bacelar !

O melhor da vida é viver bem e num Gabriel Bacelar é melhor aindaMadalena é um bairro tradicional, com característica residencial, mas cheio de serviços e espaços de lazer como praças e um dos mais conhecidos mercados públicos da cidade. Conta ainda com padarias, supermercados, lojas, academias, hospitais, escolas e cursos de idiomas.O Sainte Cecília tem tudo o que você precisa com o padrão de qualidade Gabriel Bacelar.CONHEÇAO BAIRRO DAMADALENAUma das regiões mais valorizadas da cidade do Recife. O bairro da Madalena tem tudo para facilitar a sua vida, como universidades, hospitais, bancos, padarias, drogarias, academias bares e restaurantes.

Mais informações

Qual o impacto do blockchain no mercado imobiliário

De acordo com o IBGE, o mercado imobiliário é o terceiro maior gerador de divisas para o país, sendo responsável por cerca de 10% de toda riqueza gerada no Brasil.Diante deste cenário, como o blockchain pode facilitar operações de leasing, transações de compra e venda de imóveis, bem como incrementar as opções de financiamento para construção e venda de imóveis, e melhorar o atual sistema de registro imobiliário?Desafios do mercado imobiliárioPara criar uma possível vantagem competitiva, o segmento de imóveis costuma trancar a sete chaves alguns aspectos de suas operações, tais como comparação entre taxas, valores ​​de aluguel, preços de propriedades e avaliações, entre outros. Mas, em um mundo cada vez mais conectado, a tendência dessas informações é se tornarem públicas. Mesmo assim, apesar de cada vez mais informações sobre valores imobiliários estarem disponíveis digitalmente, as bases desses dados se encontram em sistemas diferentes, que não conversam entre si.Então, como obter a interoperabilidade entre os sistemas tecnológicos utilizados pelos diferentes participantes das transações imobiliárias, e trazer maior transparência neste mercado? O blockchain pode ser a resposta, mas antes é necessária uma avaliação criteriosa.Para solucionar o problema de baixa confiabilidade e acesso aos dados, nos processos de ‘leasing’ imobiliário e transações de compra e venda, o uso de blockchain precisa atender alguns conceitos:1) Banco de dados decentralizados: os bancos de dados compartilhados são essenciais para transações de ‘leasing’ e compra e venda (banco de dados comum). Um dos principais exemplos é um serviço de listagem múltipla, que agrupa bancos de dados com informações de propriedade dos agentes.2) Múltiplas entidades responsáveis pela coleta e validação de dados: transacionar e gerenciar propriedades imobiliárias envolve várias entidades, como proprietários, inquilinos, operadores, financiadores, investidores e prestadores de serviços, que fornecem, acessam e modificam uma variedade de informações.3) Solucionar a falta de confiança: como muitas vezes os participantes das operações de ‘leasing’ e compra e venda não se conhecem, gerando preocupações com a integridade dos dados, os mesmos precisam redobrar sua cautela e diligência. Nesse quadro, o blockchain pode ajudar a mitigar o risco com o uso. Por exemplo, com identidades digitais e sistemas de manutenção de registros mais transparentes para títulos imobiliários, direitos, penhoras, financiamento e arrendamento.4) Oportunidade de desintermediação: validadores da confiança podem facilitar a desintermediação pelo blockchain, oferecendo maior segurança e transparência na gestão de títulos de propriedade.5) Transações condicionadas: muitas transações imobiliárias possuem cláusulas condicionais. Uma transação de compra e venda que dependa da aprovação de um financiamento, por exemplo, poderia se beneficiar com o uso de contratos inteligentes. De modo sucinto, os contratos inteligentes são protocolos de computador autoexecutáveis que são armazenados, verificados e executados em uma blockchain.Algumas vantagens do blockchain no mercado imobiliário:Permite tomadas de decisão mais inteligentes;Transparência e agilidade na gestão de propriedade e fluxo de caixa inteligentes;Processamento de financiamentos e pagamentos mais eficiente;Melhora o processo de pesquisa de propriedade.A arquitetura blockchain não será a solução para todas as ineficiências dos processos existentes no mercado imobiliário. Mesmo porque, não é possível automatizar completamente todas as transações.Uma primeira onda de soluções blockchain para o mercado imobiliário depende da compilação e digitalização de informações relativas ao mercado imobiliário. Tais informações, hoje centralizadas, serão, num futuro próximo, disponibilizadas em plataformas descentralizadas, possibilitando a programação de contratos inteligentes.Nesse quadro, soluções de blockchain têm o potencial de gerar transparência, eficiência e redução de custos no mercado imobiliário. Sua arquitetura pode remover muitas das ineficiências existentes nos atuais processos. Contudo, é primordial que empresas e participantes do setor imobiliário reavaliem com urgência suas competências, qualidades e ineficiências. A revisão dos sistemas atuais, com foco em soluções de blockchain, pode ser um ótimo começo.Este artigo contou com a colaboração de Tatiana Revoredo, Blockchain Strategist pela University of Oxford, e pelo MIT – Massachusetts Institute of Technology.Fonte: IT Forum 365

Mais informações

Mercado imobiliário reage em meio à crise geral

Todos reclamam, com razão, da crise que o País está vivendo, com recuo das atividades empresarias, com o fechamento de lojas e serviços, além do brutal desemprego de cerca de 13,1 milhões de brasileiros. Crise socioeconômica é quase um chavão que se escuta, se ouve e, muito mais, se lê quase que diariamente por meio da mídia. Da mesma forma, nas conversas formais ou informais, em almoços semanais de associações de classe ou de sindicatos, sejam de empresários ou de empregados.Entretanto, estudo realizado pelo Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo (CNB-SP), associação que congrega os cartórios de notas paulistas, revelou que em 12 meses, os tabelionatos brasileiros lavraram 378.328 escrituras públicas envolvendo transações imobiliárias. Juntos, esses imóveis movimentaram R$ 472.625.261.137,83.O estudo é parte do Projeto Indicadores Notariais, lançado pelo CNB-SP com o propósito de dar transparência às operações imobiliárias que são praticadas via cartórios de notas com escrituras públicas. Isso é muito bom, pois se trata de mais uma ferramenta importante que os notários disponibilizam à sociedade. Os dados servirão também como informação importante para o mercado imobiliário e para os demais setores da sociedade civil.Mensalmente, a pesquisa dará informações sobre a quantidade de transações imobiliárias via escritura pública, bem como o valor em reais que estas operações representaram no período. Somente em um mês de 2018, ainda segundo o estudo, foram transacionados em todo o Brasil aproximadamente 80 mil imóveis, que movimentaram R$ 38 bilhões.São Paulo – como é praxe – é o estado que mais transaciona propriedades via escritura pública. Neste período foram computadas a lavratura de 23 mil escrituras, ou seja, quase 30% dos atos lavrados no País. Outra possibilidade que pode ser observada nos índices é a análise histórica. Porém, também houve recuo nas escrituras públicas de 7,6% em todo o Brasil num único mês de 2018, passando de 81.168 para 80.748.A escritura pública de compra e venda de bens é o documento lavrado no cartório de notas por meio do qual uma das partes vende determinado bem – móvel ou imóvel – para outra. O documento é obrigatório para a transferência de bens imóveis de valor superior a 30 salários-mínimos. De acordo com o CNB-SP, a escritura pública é a forma mais segura de se adquirir um imóvel.Depois de lavrada a escritura de compra e venda do imóvel, ela deve ser registrada no Cartório de Registro de Imóveis. Em São Paulo, o procedimento leva, aproximadamente, 25 dias. Comparando, este tempo é inferior ao de economias desenvolvidas como Alemanha, com 52 dias, e França, quando demora 64 dias. Porém, próximo ao tempo nos Estados Unidos, que é de 15,2 dias.Enfim, ter a popular casa própria é o sonho desde sempre de todas as pessoas, ainda mais aquelas constituídas em famílias. Por isso e mesmo em meio ao desemprego generalizado, a busca por imóveis continua. Mas, atenção, as empreiteiras do ramo devem construir de acordo com as necessidades, tanto no tamanho – apartamentos pequenos são os mais visados, na correlação com o preço – quanto, e principalmente, no valor acessível. São dois pressupostos fundamentais.Em Porto Alegre, há vários empreendimentos imobiliários em pleno andamento, o que traz ânimo ao setor. Além do mais, sabe-se que investir em imóveis é quase sempre um bom negócio, salvo graves distúrbios econômico-financeiros, como o ocorrido na crise de 1929, com a quebra da Bolsa de Nova Iorque. Felizmente, isso é passado.Fonte: Jornal do Comércio

Mais informações

Vale do Ave lança Villa Lobos !

UM QUATRO QUARTOS COMO ANTIGAMENTE Heitor Villa-Lobos, maestro e compositor brasileiro, conhecido mundialmente por incorporar uma linguagem própria as suas músicas, é a inspiração para o mais novo lançamento da construtora Vale do Ave, o edifício Villa Lobos. Localizado em Boa Viagem, o empreendimento de luxo terá 162m2 de área privativa, com quatro quartos, sendo duas suítes e dois quartos com banheiro reversível. Com a tendência imobiliária de imóveis cada vez mais compactos, o Villa Lobos chega ao mercado com um grande diferencial – oferecer um espaço de qualidade não só nas áreas de lazer, mas também na área privativa. “Nosso objetivo é oferecer um quatro quartos como antigamente, amplos e confortáveis”, explica João Carlos Costa, Diretor da Vale do Ave. Com 35 andares, sendo dois apartamentos por andar, o empreendimento ainda conta com varanda gourmet, além de duas vagas na garagem, piscina, playground, quadra poliesportiva e sauna. Outro diferencial é a ótima localização – situado na Rua Professor Eduardo Wanderley Filho, na Zona Sul do Recife, saída de uma alta da Via Mangue, próximo a colégios de referência, mercados, padarias, shoppings e as avenidas Domingos Ferreira, Conselheiro Aguiar e Boa Viagem.  A vale do Ave informa que está com valores especiais em fevereiro /2019. Previsão de entrega: 2020

Mais informações

O Guia Básico da Bitcoin: o que é, como funciona, e suas vantagens!

Mais informações

Dicas e truques para ter cozinha e sala de jantar integradas !

Algumas pessoas que acreditavam que a cozinha é o melhor lugar da casa tiveram a ousadia de integrar esse ambiente à sala de jantar e estar. Essa tendência se popularizou na década de sessenta, nos Estados Unidos, e foi um marco para o design de interiores.Ainda hoje, ela é considerada uma solução moderna, bonita e funcional; e se tornou o sonho de consumo de muitos brasileiros.Tertriz Arquitetura e InterioresO distanciamento entre as áreas sociais e íntimas ou úmidas e secas diminuiu. Os imóveis atuais no mercado têm medidas bastante reduzidas, devido ao novo estilo de vida nas grandes cidades. Assim, os projetistas se viram desafiados a dar uma solução para a falta de espaço nos ambientes e para a vontade das pessoas em se tornarem protagonistas de suas residências.“Normalmente, os espaços estão sendo reduzidos e a integração está cada vez mais comum”, “São novas formas de vida e consumo, são pessoas de uma geração com novos costumes.” – arquiteto José Marcelino, em reportagem de Correio 24 horas.Maria Laura ColelhoAntigamente, as cozinhas eram escuras, apertadas e pouco convidativas. Hoje, juntamente das salas de jantar, elas são o destaque das casas. Também pudera, com tantas novidades em decoração e eletrodomésticos, já era de se esperar que as pessoas quisessem deixar seus objetos mais valiosos à mostra. Pois, em verdade, boa parte das relações sociais é baseada em status.Rodrigo MaiaA ideia de integrar a cozinha com sala de jantar é cada vez mais comum. Ela caiu no gosto popular e está não só em projetos de luxos, mas em outros, de níveis sociais diferentes. E embora essa seja uma tradição originalmente norte-americana, já faz parte da cultura brasileira – sendo chamada no país de cozinha integrada, compartilhada, gourmet ou mesmo americana.Para quem deseja otimizar ambientes e envolver pessoas numa bela refeição, juntar cozinha e sala de jantar ou estar parece ser uma ótima ideia. Se você é uma dessas pessoas, então fique atento à s dicas que vem a seguir!Vantagens e desvantagem sobre cozinha e sala de jantar integradasO principal argumento que os arquitetos e designers dão para convencer uma pessoa de optar por ter cozinha e sala de jantar integradas é a questão da amplitude. Não há como negar que uma casa com este layout parece mesmo maior. Além disso, ela é bem mais iluminada e ventilada, pois não há portas ou paredes que barrem o trajeto desses agentes naturais.Mariana MartiniUma cozinha americana permite que o anfitrião interaja com os convidados enquanto prepara as refeições. O espaço entre eles é aberto. Só que por isso toda a bagunça de objetos sujos sobre a bancada ou dentro da pia fica a mostra. E o ponto mais crítico é que a gordura da comida segue direto para os móveis e paredes da área social, danificando e deixando tudo com manchas e mau cheiro – coifas serão essenciais.Raduan ArquiteturaAssim sendo, é preciso manter todos os espaços da casa organizados e caprichar na decoração. É ela que fará a ligação visual entre os ambientes. Quando a cozinha é aberta para a sala de jantar, os dois cômodos devem seguir o mesmo estilo para criar certa harmonia. Por serem espaços destinados a diferentes atividades, é necessário um estudo aprofundado para descobrir qual o seu ponto de melhor elo.Como fazer cozinha e sala de jantar integradasA integração entre espaços é uma solução de arquitetura muito radical. Como já se pôde perceber, a ausência de uma parede entre a cozinha e a sala de jantar significa muita coisa. Não importa apenas ter o conceito aberto, tem que saber se valer dele. Qualquer pequeno descuido do projetista tende a comprometer toda a estética e a funcionalidade da casa.Ilha ArquiteturaNos últimos anos, a cozinha americana virou uns dos serviços mais solicitados aos pedreiros. Isso é um grande perigo. Em casos de reformas, a opinião de um engenheiro é fundamental para avaliar se a estrutura da casa pode ou não comportar uma mudança assim. Não se pode, simplesmente, sair quebrando uma parede, pois ela pode ser estrutural; e ainda há a questão dos encanamentos e fiações elétricas.Liliana ZenaroSe o imóvel é novo, é bem provável que já tenha essa integração feita por um balcão ou ilha entre a cozinha e a sala de jantar. Têm construtoras que até optam por manter a divisão, mas elas assinalam, em seu manual, a possibilidade da abertura da parede. É importante o proprietário conferir todos os documentos que recebeu no momento da entrega das chaves para não ter dor de cabeça depois.INÁ ArquiteturaAlém de um balcão para refeições rápidas ou uma ilha com cooktop, há mais formas de fazer uma cozinha e sala de jantar integradas. Por exemplo, usar a própria mesa de refeições para delimitar o espaço e, ao mesmo tempo, unir os ambientes. Funcionam também as divisórias abertas, as meia-paredes, os carrinhos auxiliares e até as luminárias de piso. O importante é não bloquear o visual!Très ArquiteturaPara que a decoração da cozinha “converse” com a da sala de jantar, é interessante seguir um mesmo padrão. Uma parede compartilhada entre os cômodos pode ter o mesmo revestimento, dando uma ideia de continuidade.E até os eletrodomésticos, luminárias e outros elementos com cores e acabamentos iguais também podem ajudar na integração.Carolina VilelaJá decidiu qual desses modelos de cozinha integrada com a sala vai ficar melhor me sua casa? Então, não perca tempo e comece a planejar sua reforma!Estas dicas para ter uma cozinha e sala de jantar integradas foram criadas pela equipe Viva Decora.

Mais informações

Será que os escritórios de 2025 terão esta aparência?

Na última década, os escritórios já começaram a abandonar aos poucos o modelo de espaço de trabalho com baias deprimentes. Porém, segundo David Thame, isso é apenas o começo, e haverá mudanças muito mais radicais nos próximos 10 anos.O escritório do futuro não se parecerá muito com um escritório. Ele estará mais para um hotel, uma galeria de arte ou um belo restaurante com jardim. Mas, definitivamente, não parecerá um escritório. O relatório identifica as três principais tendências sociais e demográficas que farão o espaço de trabalho do futuro se parecer mais com uma casa ou um hotel, e não com o ambiente formal e quadrado que conhecemos atualmente.A primeira tendência baseia-se em dados. Com as pressões dos dispositivos vestíveis que registram e analisam nossas rotinas e padrões diários, os espaços de trabalho se integrarão aos dispositivos tecnológicos pessoais para monitorar as nossas emoções e a nossa produtividade.Além disso, como as pessoas deixarão de trabalhar cada vez mais tarde, haverá profissionais de mais faixas etárias trabalhando no mesmo espaço de trabalho, desde os iniciantes, na casa dos 20 anos, até os pais, nas casas dos 30 e 40 anos, e os veteranos, nas casas dos 60 e 70 anos. Cada grupo precisará de diferentes tipos de espaços.Por fim, temos a onipresença da tecnologia baseada em telas da nossa era. No futuro, o design do espaço de trabalho terá o objetivo de eliminar as distrações digitais para aumentar a produtividade sem que os colaboradores se sintam privados de seus dispositivos.Como resultado, os escritórios “deixarão de ser o retrato de mesas sem graça em uma construção sem vida”, afirma o relatório. Em vez disso, eles passarão a ser centros onde homens e mulheres de todas as idades vivem, trabalham, comem e dormem.O relatório também prevê três formas pelas quais o espaço de trabalho moderno se adaptará e evoluirá de acordo com essas tendências. A primeira delas sugere que o espaço de trabalho se tornará um ambiente vivo, o chamado “espaço de trabalho sensível”. A segunda explora um escritório que parece ter sido criado para toda a comunidade, o chamado “espaço de trabalho acolhedor”. E a terceira imagina um espaço de trabalho criado para um contingente da casa dos 20 à casa dos 70 anos, o chamado “espaço de trabalho para todas as idades”. Muitos dos espaços de trabalho serão uma combinação de tudo isso, o que transformará o modo como trabalhamos.O espaço de trabalho sensívelO espaço de trabalho sensível, provavelmente é o que está mais próximo da realidade dos nossos espaços de trabalho atuais. Os escritórios costumavam ser locais indiferentes e hostis que forçavam as pessoas a se adaptarem a eles, mas o espaço de trabalho do futuro funcionará da maneira oposta. Ele se adaptará à s necessidades das pessoas e contará com milhares de sensores que vão interagir com os dispositivos vestíveis e smartphones dos colaboradores. Segundo as previsões do relatório, ”como resultado, tudo poderá ser personalizado, criando ‘bolhas’ ao redor do colaboradores”.A MoreySmith afirma que os aplicativos que interagem com o espaço de trabalho sensível estarão por todos os lados, não só substituindo cartões e crachás, como também trabalhando em prol da satisfação dos colaboradores. Isso já acontece no Edge, o prédio da Deloitte em Amsterdã, que conta com um aplicativo para controlar o estacionamento, a distribuição das mesas, o acesso ao vestiário e pedidos de comida. A Deloitte acredita que as mudanças implementadas levaram a uma redução de 60% nas faltas, quatro vezes mais candidaturas à s suas vagas e um aumento considerável na retenção de talentos.O espaço de trabalho acolhedorSegundo a MoreySmith, até o final da década de 2020, o espaço de trabalho acolhedor também será comum em nossas vidas profissionais. Em vez de ter um segurança na recepção e acesso restrito aos funcionários como nos escritórios atuais, teremos uma combinação de espaços públicos e privados em um ambiente alegre e descontraído. Os espaços de trabalho entrarão para a economia compartilhada e poderão estar em restaurantes e cafés, terraços, galerias de arte, barbearias, esmalterias e, até mesmo, hotéis.As novas comodidades do escritório serão importantes e variadas, permitindo quebrar a rotina. Em Dublin, a empresa de software Workday, da Califórnia, e a Dropbox, de São Francisco, já contam com salas de música bem equipadas. Na Dropbox, essas instalações são uma mistura de estúdio de gravações e clube de jazz, algo completamente diferente do que vemos em escritórios(2).De acordo com o psicólogo Michael Corballis, mencionado no relatório da MoreySmith, esses novos espaços de trabalho nos ajudarão proporcionando as formas certas de distração. “Para nos adaptarmos a um mundo complexo, precisamos nos afastar do presente, considerar possíveis cenários futuros, ponderar sobre erros do passado e tentar entender como a mente das outras pessoas funciona”, afirma ele.O espaço de trabalho para todas as idadesCom o aumento da expectativa de vida e da quantidade de anos que as pessoas trabalham (chegando até os 60 e 70 anos), o espaço de trabalho do futuro contará com diversas gerações.Até o final da década de 2020, os últimos dos baby boomers estarão dividindo o espaço de trabalho com as gerações Y e Z. Por isso, haverá espaços à prova de som para quem não tem paciência com a agitação dos mais novos e ambientes destinados à transmissão do conhecimento dos mais velhos para os mais novos e vice-versa.Segundo o relatório, as incubadoras de diversidade, ou seja, espaços de apoio que ajudam as pessoas a lidar com aspectos desconhecidos ou desafiantes do trabalho(3), passarão a ser comuns.Nesses espaços de trabalho para todas as idades, as necessidades das mulheres são particularmente importantes, o que causará uma mudança na ênfase e nas comodidades. Creches à prova de som, lugares para alimentar bebês e estacionamentos de carrinhos de bebê estão sendo incorporados aos novos escritórios, bem como salas de bem-estar e os espaços de convivência.Escolha a sua triboGrandes nomes do design de interiores e planejamento de espaços confirmam as descobertas do relatório da MoreySmith, mas também afirmam que ele subestima um aspecto importante do espaço de trabalho do futuro: o pensamento tribal do ser humano.Atul Bansal é um dos fundadores do Sheila Bird Group e foi responsável pelo design do novo escritório de Manchester, um ambiente elegante, harmonioso, colorido e repleto de estímulos. Ele afirma que pode ser difícil definir claramente o espaço de trabalho do futuro.“O design do espaço de trabalho está intrinsecamente relacionado à s tribos”, ele diz. “Todos fazemos parte de diversas tribos e queremos nos sentir próximos delas, sejam elas compostas por nossos colegas, pelo setor da empresa ou por uma rede mais ampla."Ele acrescenta: “Por isso a comunidade é algo essencial para os escritórios. É necessário pensar nas pessoas presentes no espaço de trabalho e fora dele, e em como elas se relacionam por meio das comodidades e do design.”Infelizmente, ele também afirma que isso não é algo fácil de se perceber ou alcançar. “As tribos são transitórias e mudam rápido. Conseguir compreendê-las é como caçar uma borboleta”, afirma ele.Será que o espaço de trabalho tribal será a próxima grande inovação, mudando os escritórios após 2025? Há uma única resposta para essa pergunta: teremos que esperar para saber.

Mais informações

Começam as vendas de apartamentos do Mirante do Cais !

Começam as vendas de apartamentos do Mirante do CaisImóveis das duas torres que fazem parte do projeto começam a ser vendidos nesta quarta (9). Obras devem começar em 2019A região do Cais José Estelita deverá ganhar em breve um parquee um binário que irão proporcionar maior mobilidade no percurso entre Boa Viagem/Centro/Boa Viagem. As estruturas fazem parte do Projeto Novo Recife, e têm como objetivo integrar as pessoas à Cidade. Dentro desse empreendimento também está prevista a construção de 13 torres (distribuídas entre oito lotes), sendo duas delas integrantes do Complexo Mirante do Cais, pertecente à construtora Moura Dubeux, com vendas iniciadas a partir desta quarta-feira (7) e início da construção prevista para 2019. Com áreas de 230 m² a 260 m², os apartamentos, distribuídos em 37 andares, possuem quatro suítes com o custo do metro quadrado calculado em R$ 8 mil. Sob um conceito inovador na cidade do Recife, o complexo abrigará, na estrutura térrea das torres, espaços destinados ao comércio. “O projeto foi concebido como resultado de um grande debate com a sociedade através de várias audiências públicas. E nós incluímos várias demandas nele”, explicou o diretor de Incorporação da Moura Dubeux, Eduardo Moura, em visita à Folha de Pernambuco.Leia também:Projeto Novo Recife é liberadoUm olhar transformador: iniciativas que dão sentido social e comunitário a áreas abandonadasDe acordo com o diretor, houve uma inversão do que determina a lei federal de Parcelamento do Uso do Solo, em que loteamentos deste porte devem destinar 35% da área para uso público. “Para que as pessoas possam circular na cidade, doamos 65% do terreno para área pública, o que irá permitir a construção de uma grande praça, de um grande parque”, destacou Moura. Um binário também será construído nos sentidos Bom Viagem/Centro e Centro/Boa Viagem, permitindo, inclusive, priorização da mobilidade de pedestres, que hoje se encontra impraticável por conta do viaduto das Cinco Pontas, e um melhor fluxo de veículos. Outro ponto de destaque é a inexistência de muros entre as torres. “Essa é outra demanda atendida por nós, sem muros e com o uso ativo e misto dos prédios, as pessoas estarão integradas ao espaço, que não contemplará só quem estiver morando nas torres”, afirmou.Atentos ao alto padrão tecnológico explorados em grandes empreendimento pelo mundo, a sustentabilidade será um dos requisitos investidos pela Moura Dubeux devido à riqueza no paisagismo ofertado pela área. Com quatro vagas de garagem para cada apartamento, o edifício garagem contará com tomadas adaptadas para receber carros elétricos. As áreas comuns de lazer, como o campo de futebol, terá vegetação natural; as piscinas serão aquecidas por meio de placas solares e haverá uma estação de tratamento para a reutilização da água. Outro ponto que começou a ser explorado pelos projetos da Moura Dubeux é a implantação de hortas coletivas, ideia que tem sido bem recebida pelos proprietários. Todo projeto foi desenvolvido para atender as diretrizes do poder público junto à expectativa de desenvolvimento da região do Cais José Estelita. A expectativa é que o Complexo do Mirante seja entregue até 2022.Maiores detalhes do empreendimento ,acesse o link abaixo :Cais do Mirante 

Mais informações

Saiba se você está preparado para assumir um financiamento imobiliário !

O trabalho de um consultor está além de auxiliar seu cliente a encontrar um imóvel, você deve ser capaz de auxiliá-lo em todos os processos que caminham até o fechamento do negócio. Caso você tenha um cliente interessado em fazer um financiamento imobiliário, veja algumas questões essenciais que devem ser levantadas antes de assumir essa responsabilidade financeira de longo prazo:Seu cliente tem uma fonte de renda estável?A instabilidade financeira no decorrer dos anos do financiamento pode provocar muita dor de cabeça depois do contrato assinado. É importante que seu cliente esteja seguro ao garantir uma entrada pecuniária mensal suficiente para cobrir os juros e manter o estilo de vida desejado.Seu cliente sabe qual é sua capacidade de financiamento?Caso o seu cliente não conheça o seu potencial de financiamento, ele pode determiná-lo procurando um especialista em crédito imobiliário, ou fazendo simulações através de um simulador multibancos. Também é fundamental que o CPF não esteja restrito na praça. Regularizar esta situação é muito importante antes de iniciar o financiamento.Seu cliente tem condições de dar pelo menos 20% de entrada?Normalmente, os bancos financiam até 80% do valor total do imóvel. É importante que ele possua a entrada para conseguir aprovação. Lembrando que, quanto menos ele financiar, menor será o valor de juros pago e em menos tempo ele poderá quitar o financiamento.Seu cliente consegue assumir gastos paralelos ao financiamento?Existem diversos gastos que devem ser verificados antes de assumir o financiamento, como despesas com documentação, ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis), investimentos em reformas e mudanças, por exemplo. Seu cliente deve avaliar estas e outras diversas condições para não prejudicar sua saúde financeira. Para ajudá-lo, informe-o também que alguns bancos financiam as despesas de ITBI e registro do contrato.Seu cliente está com pressa para financiar o imóvel?Dependendo do banco, o financiamento pode levar até sessenta dias se não houver exigências da instituição. Existem também problemas relacionados a redução nos limites de financiamento e dificuldades na aprovação do crédito imobiliário. Tempo é um elemento essencial para uma boa programação financeira!Por fim, seu cliente está comprometido?Financiamento imobiliário pode parecer uma solução óbvia, mas, muitas vezes envolve disciplina durante mais de 30 anos. No final o importante é planejamento e economia!Lembre-se, saber responder a estas e outras dúvidas referentes a todos os processos que envolvem a negociação será a diferença entre fechar ou não o negócio.

Mais informações

Financiamento de até R$ 1,5 mi para imóveis com FGTS começa a valer !

Governo antecipou decisão que seria apenas para 1º de janeiro; mercado imobiliário pressionava pelo aumento do limite.A partir desta terça-feira, os brasileiros que possuírem saldo no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) poderão financiar até 1,5 milhões de reais para comprar imóveis. A elevação do limite já havia sido decidida no fim de julho pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), mas teria vigência apenas a partir de 1º de janeiro de 2019. O governo decidiu antecipar a medida.Essa antecipação da elevação do limite foi uma demanda de mercado imobiliário e avaliada como positiva pelo Banco Central, informou o chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro (Denor) da instituição, João André Pereira. Antes, os limites eram de 950 mil reais para imóveis em São Paulo, Rio, Brasília e Belo Horizonte e 800 mil reais no restante do País. Agora, o teto de 1,5 milhão reais passa a valer de forma definitiva para todos os municípios brasileiros.Segundo Pereira, as instituições financeiras têm plenas condições de operar imediatamente sob o novo limite, sem necessidade de ajustes, o que levou à decisão. A mudança vale para financiamentos contratados dentro das regras do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), que prevê juro máximo de 12% ao ano mais a correção monetária pela TR.“Foi uma demanda de mercado”, disse Pereira. “É um incentivo a mercado imobiliário, abre caminho para novas contratações. Avaliamos como positivo”, afirmou Pereira.As construtoras demandam desde agosto a antecipação da vigência do novo limite. O técnico do BC garante que a análise desse pedido foi feita de forma rápida pelo BC. “Tem o tempo de análise, por óbvio não é de um dia para outro, mas o tempo entre conversa com mercado e a decisão do Banco Central foi rápido”, assegurou.A entrada em vigor das demais mudanças feitas em julho para os financiamentos do SFH continua fixada para 1º de janeiro de 2019. Entre essas alterações estão a maior flexibilidade das regras de direcionamento pelos bancos dos recursos da poupança. De cada 100 reais na caderneta de poupança, 65 reais precisam necessariamente ser direcionados para o financiamento imobiliário, sendo que 52 reais são obrigatoriamente emprestados segundo as condições do SFH.A partir de 2019, não haverá mais obrigatoriedade de aplicação dos recursos pelas condições do Sistema Financeiro de Habitação. Na prática, os bancos e os mutuários poderão pactuar livremente as taxas de juros. Além disso, quando não houver dinheiro do FGTS envolvido no negócio, não haverá limite para o valor do imóvel financiado. Também haverá liberdade para decidir o índice que vai corrigir o valor dos contratos.Com Agência Estado

Mais informações

Construtora Conic

APRESENTAÇÃOConstruir com sustentabilidade hoje. Construir com responsabilidade para o futuro. Esse é o pensamento da Conic. Uma empresa que busca um futuro melhor tanto para seus clientes como para o ambiente em que eles vivem. Com sede no Recife, a Conic possui 65 anos de experiência, sempre prezando pela qualidade de suas construções e pelo compromisso com a sustentabilidade e a responsabilidade ambiental, social e econômica. A Conic tem sua origem na Companhia de Construção Indústria e Comércio em 1950 e em 1999, passa a atuar com a marca Consórcio Conic & Souza Filho. Em 2012, passou a se chamar Construtora Conic.Missão: Superar as expectativas com qualidade e práticas sustentáveis.Visão: Referência em engenharia, construção, inovação e sustentabilidadeValores: - Cultura de resultados. - Satisfação dos clientes. - Práticas Sustentáveis. - Padrões éticos. - CredibilidadeÁREA DE ATUAÇÃOA Conic traz um portfólio amplo, prospecta e desenvolve projetos na área de engenharia de negócios, constrói empreendimentos residenciais de alto padrão e executa obras industriais e comerciais, desde galpões para operações logísticas, fábricas, centros empresariais a construção de hotéis

Mais informações

Construtora Gabriel Bacelar

QUEM SOMOSSomos uma das maiores incorporadoras do Nordeste, um dos mercados imobiliários com maior expectativa de crescimento econômico no País. Já promovemos o lançamento de mais de 4.500 unidades residenciais e comerciais de médio e alto padrão em mais de 80 empreendimentos imobiliários. Neste período nossa produção correspondeu a mais de 720 mil m² de área construída já lançados, distribuídos nos diversos empreendimentos. Ao longo de nossos 40 anos de existência, desenvolvemos conhecimentos específicos sobre os mercados em que atuamos e engajamos um time de executivos com experiência no setor imobiliário, com talentos multidisciplinares e autonomia de decisão. Participamos de todas as fases da incorporação imobiliária, incluindo a aquisição do terreno, o desenvolvimento do projeto, a realização das obras, as vendas das unidades e o atendimento aos nossos clientes.  Nosso histórico nos posiciona como uma construtora e incorporadora multi-segmentos. Atuamos no segmento residencial, com foco em empreendimentos de Médio e Alto Padrão. No segmento comercial, já atuamos em linhas de produtos que incluem lojas comerciais, centros empresariais e galpões. Somos uma empresa com atuação regional na área de construção de empreendimentos residenciais e comerciais nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. Estamos hoje presentes em um dos mercados mais promissores do setor imobiliário nacional, a região Nordeste, com destacada atuação em Pernambuco onde estamos desenvolvendo diversos empreendimentos além de possuirmos um expressivo landbank. Sempre estivemos atentos às novas tendências do mercado. Com iniciativas inovadoras na região lançamos empreendimentos com novos conceitos de lazer e soluções de projetos adequados ao seu publico alvo, conseguindo assim atingir permanentemente uma grande velocidade de vendas nos empreendimentos lançados alem de excelentes níveis de satisfação dos nossos clientes, o que nos torna uma empresa com altos índices de valor agregado a nossa marca. Missão: Criar vínculos fortes e duradouros com nossos clientes, oferecendo os melhores projetos, empreendimentos e serviços, sendo referência e grife no mercado. Visão: Ser a melhor empresa nos mercados de atuação. Valores:  Ética - Transparência - Respeito e comprometimento mútuo -  Participação e trabalho em equipe -  Inovação - Excelência

Mais informações

Construtora Moura Dubeux

Atuando há mais de 30 anos no Nordeste, a Moura Dubeux é hoje uma das maiores incorporadoras da região reconhecida como uma empresa de destaque no mercado imobiliário. Com sede em Recife, a Moura Dubeux focou sua expansão no mercado nordestino. Atualmente em 5 estados – Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará.Com a marca Beach Class, desde 1999 a Moura Dubeux tem forte presença no segmento de Flats e residenciais com serviços, voltado a consumidores de médio padrão, alto padrão e estrangeiros.Em 2006 visando ampliar a participação em produtos econômicos e de médio padrão foi criada a marca Vivex.A companhia possui um sistema de gestão integrada com os certificados internacionais de qualidade, saúde e segurança e meio ambiente - ISO 9001, OHSAS 18001 e ISO 14001. Além disso, foi eleita a construtora de imóveis mais lembrada de Pernambuco em 2013, repetindo os resultados dos últimos nove anos. Além de ser em dois anos consecutivos (2013 e 2014) a marca de construtora preferida dos Pernambucanos de acordo com o prêmio Marcas que eu Gosto do Diário de Pernambuco.Em 2011 também, teve início na empresa uma revisão para melhoria dos processos de gestão. Para isso, a Moura Dubeux passou a operar com o Sistema SAP e iniciou seu projeto de Governança Corporativa. POLÍTICA DO SGIBuscamos sempre atender bem o cliente e as legislações.Construir bem feito da primeira vez, reduzindo e destinando os resíduos corretamente.A melhoria da qualidade, do meio ambiente e da segurança e saúde, asseguram o sucesso da empresa e o trabalho de todos.Prevenir a poluição e riscos de segurança e saúde garantem o trabalho saudável.ESCOPO DO SGIPlanejamento, projeto, comercialização, incorporação e execução de obras comerciais e residenciais e em todas as obras (PE, RN, AL, CE, BA). PROPÓSITOConstruir soluções imobiliárias que superem as expectativas.VISÃOSer a melhor empresa de desenvolvimento imobiliário do Nordeste, com a marca reconhecida pela realização dos sonhos das pessoas e melhoria da qualidade de vida.PRINCÍPIOSFoco nos Resultados: Nossas realizações geram e dependem deles.Credibilidade e Orgulho: A credibilidade é a nossa marca, e sentimos orgulho quando olhamos o que fazemos aqui.Ousadia e Inovação: Ser líder implica em fazer diferente e assumir riscos com responsabilidade.Flexibilidade e Agilidade: Adaptar-se às mudanças mantendo o rumo e os princípios.Entusiasmo e Espírito de Equipe: Vontade de fazer a diferença trabalhando com simplicidade, humildade e espírito de equipe.Sentimento de "Dono": Não se omitir, assumir posições e responsabilidades, visando a perpetuidade da empresa.Cumprir o que promete: Confiança é o alicerce sobre o qual construímos nossos empreendimentos.

Mais informações

Grupo Queiroz Galvão

SOBRE A QGDICERTIFICAÇÕESMilhões de metros quadrados construídos, em construção e já contratados em empreendimentos residenciais, comerciais e de lazer. O sonho de morar bem realizado por milhares de pessoas. A experiência de quase 4 décadas de atuação no segmento imobiliário se multiplica em vários mercados, para públicos diversificados.A incorporadora iniciou as suas atividades em Pernambuco e sua marca é sinônimo de excelência. Atua hoje, além do Recife, em vários municípios da Região Metropolitana, construindo edifícios que são referência de qualidade desde o primeiro empreendimento, em 1977. Em São Paulo, a empresa imprime os mesmos valores e reforça a sua identidade, atuando na capital paulista e Região Metropolitana, além importantes cidades do interior como Campinas, Jundiaí, Limeira e Sumaré. A Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário está presente ainda na Bahia, Rio de Janeiro e Distrito Federal.Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário S.A.ISO 9001:2008 - Sistema da Gestão da Qualidade Inmetro (Brasil), concedido pela BRTÜV.SiAC (Base ISO 9001:2000) PBQP - H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade na Habitação) No nível A, concedido pela BRTÜV.LEED Gold - Liderança em Energia e Design Ambiental, referente à construção da nova sede administrativa de SuapeConstrutora Queiroz Galvão S.A.ISO 9001:2008 – Sistemas de Gestão da Qualidade Inmetro (Brasil) e TGA (Alemanha), concedido pela BRTÜVGRUPO QUEIROZ GALVÃOExcelência em diversas áreas, em todos os segmentos em que atua. Com uma história que começou a ser construída em Pernambuco há quase 60 anos, somos um grupo 100% brasileiro, cuja marca de qualidade expandiu-se por todos os Estados brasileiros e também por vários países. A Queiroz Galvão Desenvolvimento Imobiliário participa e contribui com as conquistas da holding investindo a cada dia na satisfação dos clientes.Confiabilidade, lealdade, qualidade e trabalho são valores do Grupo Queiroz Galvão. Sua abrangência de atuação envolve desenvolvimento imobiliário, construção naval, de ferrovias, portos e aeroportos, projetos de hidrelétricas, saneamento, infraestrutura urbana, linhas de transmissão, plataformas para exploração de petróleo e gás, siderurgia, concessões de serviços públicos, engenharia ambiental, produção e exportação de alimentos.A expansão e a solidez dos seus negócios, ampliam as ações da Queiroz Galvão para vários países da América Latina, África, Caribe, América do Norte e Europa

Mais informações

Pernambuco Construtora

A PERNAMBUCO CONSTRUTORASolidez, qualidade e compromisso com o cliente são as marcas da Pernambuco Construtora, empresa que deu origem ao Grupo de mesmo nome e que, há mais de 50 anos une experiência, competência e inovação para oferecer, em cada projeto, sempre o melhor a todos os clientes.O Grupo Pernambuco Construtora é reconhecido pela excelência, tanto no segmento de incorporação — imóveis residenciais, empresariais, condomínios e loteamentos — como no setor de obras industriais e construção civil, no qual é responsável por grandes empreendimentos em alguns dos principais polos industriais do País.O compromisso com a qualidade está presente em cada detalhe — na gestão profissional e socialmente responsável, no relacionamento com os clientes, no atendimento personalizado, nos projetos assinados pelos melhores arquitetos, nas certificações de qualidade, no investimento em tecnologia e nos serviços exclusivos. O resultado é o reconhecimento dos clientes, expressos em um alto índice de satisfação, e do mercado, por meio de várias premiações.CERTIFICAÇÕESHá mais de 50 anos, a Pernambuco Construtora é sinônimo de qualidade. Uma referência em obras industriais, de incorporação e infraestrutura. Que nos trouxe diversos prêmios e reconhecimento nacional. Fruto de certificações de qualidade, saúde e segurança no trabalho, e gestão ambiental.

Mais informações

"CONVERGÊNCIA" (QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

" CONVERGÊNCIA "  (QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Mais informações

Entrevista com o empresário Alberto Ferreira da Rio Ave : Alberto Ferreira da Costa com Saulo Moreira - 20/01/2017

Mais informações

Imóvel na Avenida Boa Viagem continua sendo o sonho de consumo dos recifenses

Mesmo com o metro quadrado custando R$ 10 mil, em média, a procura continua grande, segundo representantes do mercado imobiliárioPor: Sávio Gabriel - Diario de PernambucoPublicado em: 11/05/2018 08:10 Atualizado em: 11/05/2018 08:54Oito quilômetros de asfalto que concentram os edifícios mais valorizados pelo mercado imobiliário recifense. Muito além de um cartão-postal, a avenida Boa Viagem é o sonho de quem deseja morar de frente para o mar e cercado de uma completa infraestrutura. E nem mesmo um metro quadrado que custa R$ 10 mil, em média, e a pouca disponibilidade de terreno para novas construções faz o interesse dos poucos afortunados que têm condições de manter esse padrão de vida diminuir.“A principal atração é o mar, sem dúvidas. Mas a avenida também possui um calçadão, uma infraestrutura de parques que foram revitalizados. Para quem possui criança, por exemplo, é uma ótima opção de lazer”, comenta Betinha Nascimento, diretora de assuntos imobiliários do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Pernambuco (Sinduscon-PE). “A praia de Boa Viagem era a única que tínhamos no Recife. Quem mora na avenida tem a certeza de que não haverá construções atrapalhando a vista e os apartamentos localizados ali acabaram consistindo numa espécie de grife pelo padrão”, complementa Eduardo Abath, diretor fiscal do Sindicato da Habitação do estado (Secovi-PE).Atualmente, existem cerca de 6,5 mil imóveis na avenida, sendo 6,4 mil residenciais, segundo dados da Prefeitura do Recife. A alta densidade demográfica aliada à escassez de terrenos faz com que os lançamentos na região vendam como água. Exemplo disso é o caso do edifício Carmem Costa, da construtora Rio Ave, que teve metade dos 60 apartamentos comercializados em apenas 48 horas. “Não fizemos nenhum tipo de campanha de lançamento, como anúncios, material publicitário ou estande de venda. As pessoas interessadas em lançamentos na região se cadastraram via e-mail”, explica Carolina Tigre, gerente comercial da Rio Ave. Pouco tempo depois, a construtora conseguiu comercializar mais 12 apartamentos, restando apenas 18 disponíveis.O metro quadrado do empreendimento custa, em média, R$ 11,5 mil, e os apartamentos comercializados possuem 189 ou 368 m². “Como temos uma demanda maior que a nossa oferta, pudemos identificar melhor o perfil do comprador”, diz Carolina, afirmando que a maior parte dos clientes são pessoas que querem residir no edifício. “Identificamos que a avenida Boa Viagem é um modelo de moradia definitiva. São pessoas que se mudam com a família e estão em busca de qualidade de vida”.Apesar de toda essa procura, na avaliação dos especialistas a avenida está longe do seu “limite de valorização”. “O que vai fazer o preço subir é a economia como um todo. Sempre vai acabar valendo mais (no futuro em comparação aos dias atuais)”, diz Eduardo Abath. Mesma opinião de Betinha Nascimento. “Na proporção em que as áreas para construção diminuírem, o preço naturalmente vai subir”. A tendência, segundo Abath e Betina, é que no longo prazo os prédios antigos sejam demolidos, dando lugar a edifícios modernos e com mais apartamentos.

Mais informações

Como financiar um apartamento sem comprometer sua renda

Uma das etapas mais importantes durante a compra do apartamento é descobrir a melhor forma de fazer o pagamento. Muitas vezes para investir na realização do seu sonho o financiamento bancário é a solução ideal. Porém, como essas opções implicam em juros, é ideal fazer uma simulação no banco para que o novo imóvel não pese no seu orçamento. Confira nossos passos:Por que fazer a simulação?Sem simular o parcelamento da sua compra, você, como comprador, não saberá como pode ser cobrado. E isso é importante para poder planejar seus gastos mensais e perceber se realmente está apto a adquirir esse apartamento. A simulação também dá uma expectativa geral sobre as variações de juros e taxas que podem aparecer durante as prestações.Como fazer?Antes de fazer a simulação é necessário avaliar suas contas e extratos para ter uma média mensal em mente que comprometa menos de 30% de sua renda. Além disso, outro fator a ser avaliado é a confiança que os bancos vão ter em você como cliente. Portanto, ter pagamentos em dia é importante para que a simulação seja bem sucedida.Onde fazer?A simulação do seu financiamento através dos bancos pode ser feita pela internet ou nas instituições financeiras. Fazer uma simulação online é ideal para fazer várias pesquisas e ter uma base dos bancos que valem a pena serem visitados. Para quem quer já quer fechar negócio, ir às instituições bancárias e conversar com os gerentes são as melhores opções para contratar um financiamento seguro e vantajoso.Após descobrir todas as vantagens da simulação do financiamento para uma compra sem apertos do apartamento, é hora de investir sem medo no novo imóvel! Em nosso site, você encontra opções incríveis de apartamentos na planta ou já construídos que são um encanto: www.ivsonsouza.com.br

Mais informações

Como preparar seu imóvel pro aluguel

Com os jovens e adultos buscando cada vez mais empreendimentos para alugar, apostar nesse modelo de negócio com seu apartamento pode ser uma forma de ter um lucro mensal. Siga nossos passos para descobrir como oferecer seu imóvel para um inquilino:Faça a vistoria do imóvelAo colocar um imóvel para alugar é essencial pensar no bem-estar do seu futuro locatário. Por isso, é importante analisar se sua unidade tem algum problema de estrutura e precisa de reparos. Dessa forma, você vai entregar o melhor à pessoa que vai morar em sua casa.Realize uma pequena reformaMesmo que o apartamento não apresente danos aparentes, uma pequena reforma é essencial para alugar o seu apartamento. Novas pinturas e estilos de decoração mais atuais podem valorizar ainda mais o preço do seu imóvel na hora de alugar.Valorize os diferenciaisValorize o que há de diferencial em seu apartamento, tanto no condomínio quanto dentro da unidade. Varanda gourmet, ambientes integrados e home office são soluções bastante procuradas por quem quer alugar, assim como uma área de lazer com diversos itens.Peça ajuda de uma corretorUma solução para quem não tem tempo de lidar com a parte burocrática é contratar uma corretora de imóveis. Eles cuidarão de documentos, encargos e vão lidar diretamente com os inquilinos nas situações necessárias.Elabore um contrato de locaçãoSe você optar por tomar conta da locação sozinho, na parte de elaborar o contrato de locação, talvez seja necessário a ajuda de algum advogado. Esse documento precisa ser bem detalhado e conter todas as questões, como períodos, reajustes e condição do imóvel. No caso de quem quer optar por uma corretora, eles cuidarão dessa parte.Investir na compra de imóveis para locação pode ser uma boa solução para quem quer ter uma renda extra. Se você busca por este tipo de negócio, a nossa linha Beach class conta com opções incríveis para você:Consulte um profissional especializado:Ivson Souza - Consultor Investimentos Imobiliários - CRECI 926581 9 8657 5575 ( WhatsApp)

Mais informações

Dicas para comprar o primeiro apartamento !

A compra do primeiro apartamento é um passo muito importante em nossas vidas. E por ser um investimento em longo prazo, requer planejamento e organização. Por isso, é primordial analisar bem a situação e os aspectos necessários para fazer uma boa negociação.Confira algumas dicas para auxiliar nessa aquisição:Planejamento financeiroAntes de tudo, conheça as formas de administrar sua verba.Fonte: EngbraiControle econômicoEm primeiro lugar: economize. Saiba quanto você está pagando em cada um dos seus gastos atuais para saber se é possível poupar algum valor. Para alcançar seu objetivo, evite usar cartão de crédito e crediário, e não faça gastos desnecessários.Além disso, uma boa alternativa para que o dinheiro guardado possa render é investir em aplicações.OrçamentoCom o dinheiro reservado, calcule quanto você tem disponível para investir na compra. Na hora de solicitar um financiamento, tente dar um bom valor de entrada, dessa forma as parcelas e os juros podem ser mais baixos e você tem a chance de pagar em menos tempo.E lembre-se de considerar no orçamento outros gastos, como o ITBI (Imposto de Transferência de Bens Imóveis), registro e escritura do imóvel. O ideal é que estes custeamentos ocupem até 20% da sua renda líquida mensal.Devem ser incluídas na conta também as despesas que virão depois, entre elas IPTU, luz e água.Se mais de uma pessoa estiver envolvida no contrato, faça a somatória da renda de todos para planejar como cada um vai contribuir.Depois pesquise as instituições financeiras para verificar qual oferece as taxas e operações de crédito mais atrativas.FGTSSe você é um trabalhador com carteira assinada, uma excelente alternativa é utilizar o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), benefício que pode ajudar você a comprar o imóvel.Moradia adequadaApós colocar tudo na ponta do lápis, é hora de encontrar o apartamento que atende melhor suas necessidades: Ajuda profissionalÉ fundamental ter um profissional para assessorar a sua negociação. Um bom corretor é o elo entre você e o local que deseja morar. Ele pode auxiliar a entender a dinâmica do mercado imobiliário, conferir se a documentação está correta e indicar o melhor caminho para fazer uma compra segura.Fonte: Blog UnionEncontrando a melhor opçãoFonte: Época NegóciosCom o especialista ao seu lado, é o momento de procurar a moradia que se encaixa ao seu perfil. Comece definindo a localização. Muitos optam por locais que são próximos ao trabalho, porém é interessante observar por quanto tempo você pretende permanecer neste emprego.À s vezes procurar morar perto de importantes vias de acesso e do transporte público pode ser mais vantajoso.Lembre também de estudar qual é o lar que atende tanto seus planos atuais quanto futuros, (se pretende aumentar a família, por exemplo). Avalie os seguintes tópicos:– Quantidade de quartos– Metragem– Vagas de garagem– Vizinhança– Visite durante a noite para ver as questões de segurança e barulho– Facilidades da regiãoSempre analise essas informações, fique atento aos detalhes e seja cauteloso para não ter arrependimentos no futuro. 

Mais informações

Como ter um apartamento mais sustentável?

A sustentabilidade é um tema que está sendo muito utilizado ultimamente. Sendo assim, por que não entrar nessa nova onda e transformar o seu apê seguindo um estilo mais sustentável? É possível afirmar, que esse modo de vida é mais econômico além de trazer benefícios para o meio ambiente. A seguir, dicas de como ter um apartamento mais sustentável:1. Utilize a água de maneira consciente: A água é um bem esgotável, por isso use-a da maneira correta e caso divida o apê com mais alguém o alerte para que faça o mesmo. Diminua o tempo embaixo do chuveiro, feche a torneira quando estiver lavando a louça e ligue a máquina de enxaguar roupas apenas quando tiver roupas suficientes para chegar à capacidade máxima. Isso pode economizar centenas de litros de água no mês.2. Substitua as lâmpadas do seu apê: Trocar as lâmpadas incandescentes e fluorescentes por lâmpadas de LED para quem quer um apê mais sustentável é extremamente válido, e acima de tudo, ajuda a diminuir sua conta de energia. Pois, as lâmpadas de LED possuem uma longa durabilidade e possuem um consumo baixo.3. Fique atento com a energia: Ações como essas são simples, mas bastante significativas para o meio ambiente. Logo, apague a luz quando não tiver mais ninguém no aposento, use o ar condicionado de forma moderada e deixe o chuveiro elétrico no modo “verão”.4. Separe o lixo: Há materiais que demoram bilhões de anos para se decompor no meio ambiente e separar o lixo gerado dentro do seu apê pode ajudar a leva-los ao lugar certo. Distinga os lixos como orgânico e reciclável. A partir disso informem-se no site da prefeitura da cidade sobre quais os dias e horários que o caminhão da reciclagem passa no seu bairro ou busque ONG’s de catadores e recicladores.5. Cultive plantinhas: A criação de plantas é uma ótima opção para deixar o seu apê com um estilo ainda mais eco friendly! Potes pequenos de vidro ou vasos específicos são válidos para o cultivo.

Mais informações

Saiba quais são os tipos de papel de parede disponíveis no mercado e como usá-los para mudar o visual da sua casa !

“Chegou o momento de mudar o visual da casa”! Só de pensar nisso já bate o pavor nas pessoas. Isso porque, junto das reformas, vêm enormes dores de cabeça. É quebra-quebra, é sujeira, gastos e discussões intermináveis com empreiteiros. Mas tem um material disponível no mercado mais econômico, simples de ser aplicado e capaz de revolucionar rapidamente os ambientes. Trata-se do papel de parede!   BY Arq&Design No passado, esse tipo de revestimento era muito valorizado, principalmente em países da Europa. Depois, ele caiu em desuso. Agora, voltou à moda e tornou-se sinônimo de bom gosto e modernidade. Dá para dizer que o papel de parede é, novamente, querido por arquitetos e designers; uma tendência fortíssima em seus projetos de decoração.Este artigo apresenta dicas e imagens exemplos de maneiras diferentes de dar cara nova para os ambientes através do uso de papel de parede. Se você buscava uma solução para fugir das reformas, quem sabe não vá encontrar nesse material o seu maior aliada.   Roberta DevisateAs vantagens de usar o papel de parede na decoraçãoInstalar papel de parede não exige mão-de-obra especializada. Você mesmo pode aplicá-lo – fácil e rápido – à s paredes da sua casa. Não há quase geração de bagunça ou resíduo. E, depois disso, o material pode durar por muitos anos – três vezes mais do que uma tinta acrílica. Além disso, ele pode melhorar o controle térmico dos ambientes e cobrir pequenas falhas no acabamento das superfícies.Quanto à s desvantagens, nenhum papel de parede é imune a problemas estruturais, incidência direta de raios do sol ou infiltrações. Eles podem se deteriorar rapidamente com a umidade e com o calor excessivo, ficando desbotado, descascado, com bolhas ou mofos. Por isso, o dono do imóvel tem que estar atento à s especificações do produto que adquirir. Cuidado com cozinhas e banheiros!Tipos de papel de parede disponíveis no mercado brasileiroA indústria nacional está se aprimorando cada vez mais quanto à fabricação de papéis e adesivos decorativos. Hoje, já existem no mercado modelos de texturas, cores, brilhos, estampas e tamanhos diferentes. São tantos que até os próprios arquitetos e designers de interiores tem dificuldade em escolher um. O importante é dizer que cada modelo possui características específicas para uma determinada área.     Katia Llaneli Os papéis tradicionais são compostos a partir da celulose e recomendados para ambientes secos. Depois tem os em TNT, que parecem um tecido. Os vinílicos, mais resistentes, com uma camada de PVC – apropriados para áreas molhadas e de alta circulação. Os vinilizados, de melhor impermeabilização. Os acetinados, que acumulam menos poeira. E os em mica, produzidos a partir de pedras naturais.    Vitral Arquitetura Para cada um desses revestimentos, há centenas de padronagens disponíveis, combinando com todo tipo de estilo de decoração, do clássico ao contemporâneo. Existem papéis de parede floridos, listrados, geométricos e adamascados, que são as opções mais comuns. Mas, também tem os que imitam textura de cimento, bambu, pedra e tijolo. Os lisos, em degradê, 3D, grafismo, vintage e retrô. É impressionante!Onde usar papel de parede na decoração da casaCom qualquer um desses incontáveis modelos em mãos, você já pode mudar, instantaneamente, a cara de todos cômodos de sua casa, da sala ao quarto. Ele pode ser usado em todas as paredes do ambiente ou em apenas uma.     Sandra PompermayerNão existem regras! Basta ter apenas um pouco de bom senso. Como dito antes, não se pode pecar com exageros nem ignorar questões como umidade e calor. O resto está tudo certo!     Gabriel Valdivieso e Ubá Arquitetura O legal dos papéis de parede é que, com eles, é possível gerar muitas combinações decorativas diferentes, misturando cores, texturas e estampas. Esse material é muito mais poderoso que um simples pano de fundo. Ele é capaz de criar ilusões de ótica, de dar impressão de mais amplitude, iluminação, frescor, dinamismo e aconchego. Resumindo, pode contribuir para aumentar as boas sensações.   CASAon CASAon A começar pelo hall de entrada, o papel – estando ele aplicado a uma única parede – seria o protagonista da decoração. Já na sala de estar, ambiente da casa onde as famílias passam a maior parte do tempo, o material poderia se destacar melhor atrás de um painel de TV ou sofá. E na área de refeições, colorir e alegrar o espaço ao redor da mesa, estimulando o bom apetite das pessoas.    Ana Cristina Nigro Malta Nos ambientes mais íntimos da casa, os papéis de parede devem ser de tons pastéis e linhas geométricas mais discretas. Em dormitórios de adultos, figuras que remetem à natureza ajudariam aqueles que têm dificuldade de relaxar e dormir. Já nos dormitórios infantis, os decoradores podem propor a aplicação de rolos com estampas de bichinhos e personagens animados – os geométricos também estão na moda.    Andrea Teixeira & Fernanda Negrelli Agora, áreas de serviço, lavabos, banheiros e cozinhas podem receber papel de parede? Claro que sim, desde que resistentes, principalmente, ao vapor de água. Estes ambientes combinam melhor com papéis de parede nas cores azul, verde, dourado e amarelo – lisos ou estampados. É a metragem do cômodo que determinará se é possível abusar ou não dos tons mais escuros.    Idealizzare Arquitetos Gostou das ideias? Você imagina que poderia colocar papel de parede em tantos lugares assim? Ou que ele combinaria com tantos estilos de decoração? E agora, vai adotar essa ideia para mudar o visual de sua casa? Seja criativo e deixe sua casa incrível!Estas dicas para usar papel de parede na decoração da casa foram criadas pela equipe Viva Decora.

Mais informações

As vantagens de comprar imóvel em regime de condomínio fechado

Você já ouviu algo sobre o termo “regime de condomínio fechado”? Trata-se de uma excelente maneira para quem procurar uma oportunidade de ter o próprio apartamento, em condomínios que oferecem conforto, lazer e segurança. No procedimento de condomínio fechado, a construtora é responsável por lançar o projeto do empreendimento, e, os compradores financiam a obra. Ou seja, o capital investido por quem deseja comprar é destinado para todo o processo e andamento da obra, até a entrega do apartamento equipado e pronto para morar.Este é o método adotado pela Moura Dubeux, feito sob total legalidade, de acordo com a Lei Federal N° 4.591/64. Nele, há muitas vantagens para quem deseja ter seu sonho realizado. Algumas delas são:Na aquisiçãoDesde a compra do imóvel, é possível notar pontos positivos para quem irá se tornar morador. As parcelas recebem um maior prazo e são corrigidas apenas pelo INCC – Índice Nacional da Construção Civíl. Dessa forma, a Moura Dubeux é responsável pela diferença de custo total da obra, se a mesma ultrapassar o limite de 10% a mais do previsto.Durante a obraOutra vantagem da compra pelo regime de condomínio é que todos os compradores podem fiscalizar sempre que desejarem, o andamento das obras. Deste modo, é possível acompanhar todo o investimento de capital e também a alteração de custos. A empresa é responsável pelo gerenciamento do projeto e também por sua parte técnica, prestando conta aos proprietários em assembleias trimestrais.Na conclusãoAs grandes vantagens desse processo de regime fechado vão até o fim da obra. Os futuros moradores passam a possuir menores despesas com registro, além da legalização do imóvel após o habite-se por apenas 2/3 do valor pago no sistema de incorporação.

Mais informações
Favoritos
Favoritos

Precisando de Ajuda para encontrar o imóvel ideal?

Entre em Contato Conosco