small-blog

Aldeia/Pernambuco: conheça o novo bairro de Aldeia que é sinônimo de qualidade de vida

Você está em busca de um lugar para morar que lhe faça sair do caos urbano e ao mesmo tempo lhe ofereça qualidade de vida? Saiba que Aldeia/Pernambuco pode ser o lugar que você procura.Cada vez mais as pessoas vêm buscando novas opções de moradia para sair da vida agitada das cidades grandes.Viver próximo à natureza, com tranquilidade, pode influenciar diretamente a saúde e o bem-estar da sua família.Porém, um dos obstáculos para essa mudança de estilo de vida é justamente o problema de se viver longe da cidade. Quando você tem uma rotina e necessita de serviços rotineiros, acaba se tornando uma contramão viver longe dos centros urbanos.Em Aldeia/Pernambuco o sonho de se viver abraçado pela natureza e próximo a serviços passou a ser realidade! Nós separamos alguns benefícios pelos quais Aldeia tem sido tão procurada por famílias que buscam uma nova casa com tranquilidade e qualidade de vida. Confira agora!Descubra um oásis em meio à Mata AtlânticaSabe aquela casa de campo que você frequentava com a sua família para relaxar nos finais de semana? Já pensou em morar nessa casa? Agora é possível!Até há poucos anos atrás, o bairro de Aldeia era conhecido por ser um lugar onde as pessoas passavam os finais de semana com as suas famílias. Mas essa realidade mudou.Muitas pessoas que tinham casas de veraneio para os finais de semana passaram a ver esse imóvel como uma possível residência já que a região foi se desenvolvendo e oferecendo também serviços que só se poderiam encontrar na cidade.Com 25 mil habitantes atualmente, Aldeia/Pernambuco conta com uma reserva natural de cerca de 7 mil hectares de mata atlântica, a maior faixa contínua acima do Rio São Francisco.Por isso, você realmente pode viver abraçado pela mata atlântica com a tranquilidade e o conforto de morar em harmonia com a natureza.Viva bem pertinho da natureza com serviços ideais para a sua família em Aldeia/PernambucoVocê já não precisa mais estar longe da cidade para ter uma vida tranquila!Devido ao desenvolvimento da região de Aldeia/Pernambuco, serviços que antes não eram encontrados na localidade já se fazem presentes na rotina daqueles que optaram por viver nesse paraíso.Se você busca qualidade de vida sem precisar abdicar dos serviços da cidade, Aldeia já possui essa comodidade com supermercados, academias de ginástica, pontos de comércio, restaurantes, escolas internacionais, e em breve cinemas.Encontre praticidade para a sua rotinaE se você conseguisse ter a tranquilidade de viver junto da natureza, mas também a opção de poder ir à praia ou curtir um domingo no shopping com a família?Agora você consegue trazer acessibilidade para a sua rotina. Vivendo em Aldeia/Pernambuco, você está há apenas 40 minutos de carro do Recife.Imagina passar uma dia relaxando em casa com a família e sair final de tarde para ir ao cinema ou brincar com as crianças em um parque de diversões, por exemplo. Para muitos essa seria a vida ideal, e em Aldeia/Pernambuco ela é possível!Encontre a estrutura certa para sua qualidade de vidaMas se Aldeia/Pernambuco é uma área de preservação como é possível ter a estrutura ideal para se viver com comodidade e segurança?Devido ao fato de que as pessoas têm procurado cada vez mais um estilo de vida que Aldeia pode oferecer, construtoras e imobiliárias vêm olhando para essa região com outros olhos.Essas empresas estão levando para a localidade ótimas opções de empreendimentos abraçados pela natureza e com toda a segurança para que você e a sua família possam alcançar a qualidade de vida ideal.Atualmente, na região, você pode encontrar condomínios-clube com infraestrutura totalmente voltada para o seu bem-estar.São complexos aquáticos, quadras poliesportivas, salas de ginástica, sauna, ciclovias, playground, playkids, horta comunitária, pomar comunitário, segurança 24h, entre outros diferenciais para todo o seu conforto e tranquilidade.Além do mais, a estrada principal de Aldeia/Pernambuco lhe dá o acesso para a rodovia federal onde você pode ter passagem direta tanto para a zona norte quanto para a zona sul do Recife.Todo o acesso à Aldeia é pavimentado e com a infraestrutura que possibilita o seu ir e vir para o bairro sem dificuldades.Não abra mão do seu bem-estarVocê já sabe onde você pode realizar o seu sonho de viver em tranquilidade com todo o conforto necessário, não é mesmo?A região de Aldeia/Pernambuco é o lugar ideal para você e a sua família construírem a casa do seus sonhos com uma qualidade de vida que poucos conseguem alcançar. 

Mais informações
small-blog

Casas maiores, escritórios menores: pandemia revoluciona mercado imobiliário

Cerca de 35% das empresas venderam em negociações durante a pandemia, mostra pesquisa de mercado.SÃO PAULO – O mercado imobiliário foi impactado pela pandemia de coronavírus, mas o tom entre os especialistas é otimista em relação aos efeitos que a crise pode trazer.Entre as mudanças mais significativas, está um processo reverso ao que vinha sendo observando: “se antes a tendência era a diminuição de espaços e de vivência em espaços compartilhados, a pandemia exige o oposto: espaços maiores e mais confortáveis, já que as pessoas passam muito mais tempo dentro de suas respectivas casas e estão sentindo falta de uma varanda, de um escritório bem estruturado e vão querer mudar”, afirmou Fábio Tadeu Araújo, sócio Dirigente da Brain Inteligência Estratégica, durante a live mediada pelo professor do InfoMoney, Ricardo Reis, nesta segunda-feira.Também participaram Giancarlo Nicastro, CEO da Siila Brasil, Fernando Didziakas, Sócio da Buildings, Thomaz Assumpção, da Urban Systems, Fábio Tadeu Araújo, sócio Dirigente da Brain & Guilherme Werner, Marcus Araujo, CEO e Fundador da Datastore, Cristiano Rabelo, CEO da Prospecta Inteligência Imobiliária e Danilo Igliori, economista chefe do Grupo ZAP e Chairman da DataZAP – Inteligência Imobiliária. Assista à mesa redonda completa no vídeo acima.Segundo Fábio Tadeu Araújo, é preciso se atentar à s tendências demográficas a partir de agora. “As grandes cidades do Brasil já possuem, em sua maioria, famílias de no máximo três pessoas. O futuro do mercado imobiliário vai ser se adaptar à relação entre compartilhamento e redução espaços e viver em ambientes maiores e de mais qualidade”, afirma.Home officeFernando Didziakas, Sócio da Buildings, que monitora principalmente escritórios corporativos, afirma que, segundo uma pesquisa da empresa, 80% das empresas de SP acreditam que a partir de agora terão escritórios menores. “E isso é um processo: casas maiores, escritórios menores. Vamos observar uma redução da metragem da empresa e uma melhora na qualidade do home office, que vem funcionando”, diz.Thomaz Assumpção, da Urban Systems, também acredita que a mudança de comportamento terá forte impacto no mercado imobiliário.“Tudo vai mudar e vamos viver de forma mais integrada e buscando mais qualidade, o valor das coisas vão aflorar e isso vai trazer significado. Por isso, nosso olhar para a cidades tem sido no desenvolvendo bairros planejados, cujos produtos são sistêmicos e complementares e incluem varejo, hotelaria, residencial, escritórios, vários segmentos. Produtos de nicho vão surgir, vamos diminuir a mobilidade urbana e isso vai trazer uma nova logística mais fragmentada. Temos que monitorar o processo do novo ciclo [do mercado imobiliário].Vendas na criseUma pesquisa conduzida pela Brain Inteligência e mais parceiros, mostra que 56% das empresas de incorporação venderam durante a crise. “Desse total, 60% foram vendas derivadas de uma negociação iniciada durante a pandemia. Ou seja, podemos dizer que cerca de 35% das empresas venderam em negociações durante a pandemia, o que indica que com certeza existe venda neste momento”, afirma Araújo.Segundo ele, isso é reflexo da preparação das empresas, já que o mercado imobiliário vinha se recuperando da crise de 2014. “As empresas estão mais preparadas para vender digitalmente e contatar digitalmente, se essa pandemia tivesse acontecido quatro, cinco anos atrás o impacto teria sido muito maior. Muitas empresas estão avançando para oferecer a jornada de compra do imóvel 100% online”.Guilherme Werner, sócio da Brain Inteligência Estratégica, informa que, paralelamente, uma pesquisa mensal com 600 consumidores feita em abril mostra que 20% deles têm a intenção de compra de um imóvel novo.“É natural que diante do cenário que vivemos que essa intenção seja postergada, mas também o encolhimento não denota um pânico, apenas um receio prudente”, diz.Ainda, nessa mesma pesquisa, na edição de março, 1% dos entrevistados tinha acelerado a compra de um imóvel por conta da pandemia. Em abril, o número subiu para 5%. Para Verner, os motivadores são de necessidade e não desejo, mas já é um sinal positivo.Recuperação do setorSobre a recuperação de fato do setor, ainda há um caminho a ser percorrido. Segundo Cristiano Rabelo, CEO da Prospecta Inteligência Imobiliária, é difícil prever algo em um cenário como o que estamos passando e acredita em uma recuperação de médio prazo com a ajuda da internet.“Hoje, não chegamos nem perto dos números da gripe espanhola, por exemplo, mas temos um fator a mais: a tecnologia. Ela tem capacidade de propagação de incerteza muito grande, ao mesmo tempo que tem a capacidade de reestruturação muito maior. Ou seja, o ponto de retomada pós pandemia vai acontecer embora no médio prazo no setor. A depender, claro, das regiões que sofreram mais com a crise. O mercado imobiliário deve ser analisado de maneira local, microrregião por microrregião”, diz.Segundo ele, empreendimentos de baixo padrão, por exemplo, têm tendência à inadimplência pela perda da capacidade de compra de muitos brasileiros de baixa renda,” mas o reflexo é pontual. “As cidades diversificadas economicamente não se veem um aumento de inadimplência brusco, enquanto regiões que vivem de indústrias e comércio são severamente mais afetadas”, explica Rabelo.Danilo Igliori, economista chefe do Grupo ZAP, afirma que analisa o momento sob três perspectivas: choque, transição e o novo ciclo. “Hoje estamos no choque e vai durar enquanto não tivermos controle da economia e enquanto não tivermos o tamanho do custo de econômico para lidar com a crise. A principal característica do choque é a enorme contração da demanda junto com a contração da oferta”, diz.E explica: “o choque negativo na demanda contrai a quantidade de transações e também contrai os preços, enquanto o choque negativo na oferta contrai as transações também, mas faz o preço subir. Somados, o resultado inequívoco é o de diminuição de transações [compra e venda de imóveis], mas o preço fica relativamente fixo, porque um anula o outro. É o que estamos vendo, preço não teve muita alteração. E agora só o essencial importa e qualquer decisão que pode ser postergada assim será”, afirma.Marcos Araujo, CEO e Fundador da Datastore, acredita que o mercado imobiliário está mais resiliente hoje. “Todo mundo saiu muito castigado da crise [gerada pelo] impechment e mudanças interessantes foram promovidas, incluindo corpo de funcionários mais enxuto e terceirização de muitas atividades. Por isso, [o setor] entrou nessa crise já imaginando que não haveria uma explosão de lançamentos em 2020. A grande maioria dos incorporadores acreditava em ano muito bom, mas sem explodir a oferta”, explica.Por isso, segundo ele, o setor está atravessando a crise com dificuldades, mas sem impactos muito severos por enquanto. “O foco será fazer os lançamentos [já previstos] serem os melhores, com os melhores terrenos e projetos. A surpresa foi a digitalização, mas há estrutura”, afirma.Shoppings: hubs de distribuiçãoGiancarlo Nicastro, CEO da Siila Brasil, afirma que o setor vem enfrentando muitas dificuldades. “Mesmo com cerca de 70 reabertos no Brasil, nem todos com todas as lojas abertas, a ocupação representa 20% a 30% do que os shoppings costumavam ter. Além disso, as áreas de entretenimento serão as últimas a serem liberadas, incluindo vallet, cinema, e praça de alimentação. É um segmento que precisará se reinventar”, afirma.Para ele a solução de curto prazo com o objetivo de sobreviver será a transformação dos shoppings em hubs de consumo. “Os shoppings se adaptam facilmente e uma das saídas é virar o chamado ‘last mile’, que serve como alternativa do ‘self storage’. Passar a ser um distribuidor em microrregiões. Os shoppings têm espaço e localização, então, se tirar as pessoas de dentro, continua tendo espaço e distribui de forma mais rápida. Vai ser a saída para a sobrevivência”, afirma.PUBLICIDADE

Mais informações
small-blog

Entenda a influência da taxa Selic na compra de imóveis

Entenda a influência da taxa Selic na compra de imóveisÉ fácil ver a influência da taxa Selic na compra de imóveis, seja por meio do seu aumento, por sua queda e até suas interferências na inflação e economia brasileira como um todo, afetando também o� mercado imobiliário.Para entender melhor, a taxa Selic — sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia — é o cálculo básico dos juros usado pela economia brasileira. Ela é paga pelo governo à s instituições financeiras quando realizam empréstimos e outros serviços bancários.Além disso, ela é utilizada pelo Estado para controlar a emissão, compra e venda de títulos públicos, uma vez que é regulada pelo Banco Central — com índices estabelecidos pelo Comitê de Política Monetária (Copom).Assim, ressalta-se a importância de atentar-se a ela, pois, além disso, é o índice que delimita, indiretamente, todas as taxas cobradas pelos bancos. Para esclarecer os pontos essenciais sobre o tema, escrevemos este post para lhe auxiliar a escolher um bom imóvel. Fique conosco!Impulsionamento da queda da taxa Selic na compra de imóveisA taxa Selic influencia a� compra de imóveis� de forma direta. Isso porque, quando seu índice está baixo, os juros bancários para financiar, em regra, reduzidos, impulsionam o mercado imobiliário, haja visto que as pessoas interessadas na aquisição de uma casa ou apartamento realizam empréstimos para tal ou empregam uma renda aplicada.Essa situação ilustra o cenário atual do Brasil em relação à baixa da taxa Selic, a qual facilitou a compra de inúmeros imóveis nos últimos anos. Observa-se que, segundo pesquisa da� Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), publicada em setembro 2017, houve um crescimento do mercado imobiliário, com aumento da criação de empreendimentos e vendas por consequência.Assim, o panorama otimista — provocado pela taxa Selic na compra de imóveis — produz a sensação de segurança e encorajamento nos clientes, que conseguem adquirir propriedades imobiliárias sem comprometer grande parte do orçamento familiar.Ocorre que a queda da Selic devolve o poder de compra aos consumidores gradativamente, sendo usado para a aquisição de um imóvel. Não apenas, acontece que esses consumidores se tornam mais fortes economicamente, o que atrai investidores para a economia brasileira e o mercado imobiliário.Em casos de alta da Selic, a compra e venda de imóveis ficam prejudicadas. Imagine que uma pessoa vem guardando dinheiro com o intuito de adquirir uma moradia. Chega o momento em que ela escolhe o banco e vai fazer o financiamento e a taxa Selic aumenta. Isso vai fazer com que o valor das prestações desse empréstimo fique alto.Assim, todos os projetos vão acabar sendo esquecidos e serão retomados somente com a queda da taxa de juros, por propiciarem o momento ideal para a aquisição do imóvel.Interferência da taxa Selic na inflaçãoUsada como instrumento de política econômica pelo Governo Federal, a taxa Selic pode ser manipulada a fim de evitar a perda do poder de compra do Real, moeda nacional. Quando o Poder Público decide diminuir a inflação, por meio do Banco Central, ele aumenta essa taxa com o objetivo de limitar a concessão de crédito e frear o consumo da população.Diante disso, a lei da oferta e da procura cai, além dos preços das mercadorias, as quais são menos negociadas, resultando na diminuição da inflação.Por outro lado, se a inflação está baixa, a economia está desacelerada. Isso faz com que o Banco Central diminua a taxa Selic, para que os títulos públicos passem a custar menos e os bancos sejam obrigados a procurar uma rentabilidade segura, oferecendo mais crédito as pessoas.Enfatiza-se que a emissão desses títulos resulta da necessidade constante do Estado de angariar dinheiro, com a finalidade de administrar a máquina pública, fazendo-o por meio do investimento nestas fontes de renda.Com a venda dos títulos públicos para os bancos, podem controlar sua valorização e interferir na economia. É notório que a taxa Selic é uma arma estatal de combate à inflação, uma vez que há o controle dos preços dos bens.Logo, com o crédito concedido, as empreiteiras podem investir em novas construções, uma vez que a baixa da Selic atinge os preços dos materiais de usados nas obras. A maior vantagem é para aqueles que desejam obter terrenos para construção própria ou imóveis ainda na planta.Não obstante, o cliente também se beneficia dessa diminuição, podendo concretizar o sonho de conquistar sua moradia, sem comprometer toda a sua renda mensal.Influência positiva da taxa Selic na economia brasileiraQuando em patamares baixos, a taxa Selic influencia positivamente a economia e o mercado de imóveis, tendo em vista que incentiva a ocorrência de negociações imediatas e possibilita novas transações imobiliárias a longo prazo, com valorização de casas e apartamentos. Aqui a venda financiada é privilegiada, aquecendo o mercado e proporcionando aumento nos investimentos para lucro futuro em compra de imóveis.Todavia, o aumento da taxa Selic, apesar da diminuição da compra por maior parte da população, beneficia aqueles que querem adquirir imóveis à vista, já que, pela lei da oferta e da procura, com pouca demanda vai haver grande oferta de propriedades mais baratos para quem é investidor.De fato, é notório que a taxa Selic na compra de imóveis é determinante para o crescimento ou declínio do mercado mobiliário. Quanto menor essa taxa for, maior vai ser a aquisição ou� locação� de imóveis pela população. Se a Selic estiver alta, somente compras à vista serão privilegiadas — o que não é comum de acontecer — as transações imobiliárias e podem diminuir.Além disso, ressalta-se que, apesar das explicações deste post, na ânsia de investir em negociações de imóveis, quem sonha com uma nova moradia, seja própria ou aluguel, pode se complicar com questões burocráticas referentes à taxa Selic.Dessa forma, é importante contar com a ajuda de profissionais qualificados que acompanham suas alterações e são capazes de analisar qual o melhor momento para fazê-lo, a fim de que o comprador tome a decisão mais acertada, alcance boas condições contratuais e economize dinheiro.Gostou dessas informações? Se você ainda tem dúvidas sobre a influência da taxa Selic na compra de imóveis, entre em� contato conosco

Mais informações
small-blog

Moura Dubeux apresenta o Edf. Arthur Bruno Schwambach

Empreendimento será erguido em Casa Forte e tem assinatura de Carlos Fernando Pontual.A Moura Dubeux lança um projeto diferente de tudo que já foi apresentado. Estamos falando do Edf. Arthur Bruno Schwambach, o mais novo residencial do bairro de Casa Forte, Zona Norte do Recife.  O futuro residencial será erguido na Av. 17 de Agosto, preservando um casarão histórico. No total serão 4 edifícios com 7 pavimentos cada, totalizando 59 unidades integradas a um terreno com 4 mil m² de área verde. Para explicar todos os detalhes deste projeto inovador, a Moura Dubeux promoveu uma apresentação especial do arquiteto Carlos Fernando Pontual para corretores e parceiros. "Viver aqui será como morar em uma casa, com muita área verde e poucas unidades", afirma. Os apartamentos terão 181m², 4 suítes, suíte master com closet, varanda gourmet e segunda varanda e ainda 3 vagas na garagem. A planta pode ser personalizada pelo cliente: será possível incorporar as varandas à planta, caso o cliente deseje. “Quando fazemos um projeto de uma casa, fazemos o projeto especificamente para aquela pessoa. Quando fazemos um prédio imaginamos que vários perfis irão ocupar aquele espaço, então temos que fazer um projeto neutro, que adapta-se a qualquer forma. O projeto tem que favorecer as modificações que porventura o futuro morador deseje fazer”, explica o arquiteto Carlos Fernando Pontual. "Estamos falando de um terreno único com 7mil m², no coração de Casa Forte, com baixa densidade e um projeto assinado por arquitetos que são referência em todo o Brasil", afirma o acionista da MD Gustavo Dubeux.A área de lazer será entregue equipada e decorada, com projeto assinado por Romero Duarte. Além disso o projeto terá placas solares instaladas, tomadas para carro elétrico no estacionamento, prevendo o uso de veículos elétricos. Piscina aquecida, salão de festas, espaço gourmet, academia, bicicletário, oficina para bicicletas, coworking, minicampo, brinquedoteca, brinquedoteca externa, pet place, pet wash, guarda volumes e ponto de embarque e desembarque de transporte por aplicativo fazem parte dos diferenciais. Todas as áreas comuns internas serão climatizadas. já o casarão preservado promoverá a integração do empreendimento com o bairro.A artista pernambucana Dani Acioli, que leva Casa Forte como sua inspiração diária, foi convidada pela Moura Dubeux para para criar a Identidade Visual do Arthur B. Schwambach, trazendo assim a essência, valores e estilos do bairro para a criação.Clique Aqui e saiba mais sobre este projeto único !

Mais informações
small-blog

Lançamento da TORRE 5 no Rio Mar Trader Center 5

APÓS O LANÇAMENTO DO RIOMAR TRADE CENTER 4, O GRUPO JCPM FAZ O LANÇAMENTO DA ÚLTIMA TORRE TOTALMENTE INTEGRADA AO RIOMAR SHOPPING O RIOMAR TRADE CENTER 5A NOVA TORRE FOI CONCEBIDA PARA ATENDER AOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUE PROCURAM CONFORTO, MODERNIDADE, FLEXIBILIDADE E SERVIÇOS EM UMA EXCELENTE LOCALIZAÇÃO COM A QUALIDADE E INOVAÇÃO DO GRUPO JCPM.TOTALMENTE INTEGRADO AO RIOMAR, COM MAIS DE 7 MIL VAGAS DE ESTACIONAMENTOO RioMar Trade Center 5 apresenta deferenciais que ajudarão a otimizar a sua rotina e dos clientes com todas as facilidades que o shopping oferece: segurança, amplo estacionamento, restaurantes e lanchonetes, academia de ginastíca, alameda de serviços, mix variados de lojas, cinema, teatro, diversões eletrônicas e boliche, entre outrosSalas a partir de 26m²Salas Corporativas com 400m² e 800m²Lobby e Foyer com amplo espaço e pé direito duplo5 Salas de reunião e 3 Salas de convenções, sendo 2 moduláveis, entregues climatizadas e com tratamento acústicoDocas de serviços com acessos exclusivos

Mais informações
small-blog

Recebendo homenagens no dia do corretor de imóveis !

Foi com imensa alegria que fomos homenageados pela construtora Rio Ave , no dia do corretor de imóveis.Gratidão pelas surpresas e presente recebidos.

Mais informações
small-blog

Complexo RioMar terá novas torres empresariais !

O GRUPO JCPM SEGUE FIRME NO PROPÓSITO DE INVESTIR NO ESTADO E ANUNCIA O SEU MAIS NOVO EMPREENDIMENTO IMOBILIÁRIO: RIOMAR TRADE CENTER 4, TOTALMENTE INTEGRADO AO RIOMAR RECIFE.A NOVA TORRE FOI CONCEBIDA PARA ATENDER AOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUE PROCURAM CONFORTO, MODERNIDADE, FLEXIBILIDADE E SERVIÇOS EM UMA EXCELENTE LOCALIZAÇÃO COM A QUALIDADE E INOVAÇÃO DO GRUPO JCPM.A NOVA TORRE FOI CONCEBIDA PARA ATENDER AOS PROFISSIONAIS E EMPRESAS QUE PROCURAM CONFORTO, MODERNIDADE, FLEXIBILIDADE E SERVIÇOS EM UMA EXCELENTE LOCALIZAÇÃO COM A QUALIDADE E INOVAÇÃO DO GRUPO JCPMTOTALMENTE

Mais informações
small-blog

Veja como funciona o cálculo para definir o valor do aluguel de um imóvel

Veja como funciona o cálculo para definir o valor do aluguel de um imóvelMeu Site Imobiliário22/07/2019Dicas, Locação, Mercado ImobiliárioCompartilhar no facebookCompartilhar no googleCompartilhar no twitterCompartilhar no linkedinCompartilhar no whatsappÉ preciso considerar questões básicas sobre o imóvel, mas também vizinhança e situação do mercadoOferta e procura são os principais fatores que definem o preço médio do aluguel de um imóvel, portanto a pesquisa de mercado na região é fundamental para encontrar o valor. Mas também devem ser considerados a proximidade com transporte público, escolas, comércio e infraestrutura geral, assim como a avaliação da unidade, que deve ser feita pelo corretor de imóveis.“Nos fatores internos que contribuem para agregar valor à locação está incluída a não necessidade de reformas, ou seja , que o imóvel esteja em boas condições de se habitar. O gasto de imediato não é nem um pouco atraente para a locação”, afirma o diretor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Rio de Janeiro (Creci-RJ), Laudimiro Cavalcanti.“Já falta de segurança, escolas e hospitais são fatores que dificultam a locação e contribuem bastante para diminuir o preço. “O principal erro na hora de decidir o valor do aluguel é deixar de considerar as pesquisas realizadas na região e partir de um preço acima do ofertado”, diz Cavalcanti.Veja as dicas do perito em avaliações imobiliárias Wagner Nogueira:O que define o preço do aluguel?Localização (infraestrutura da região), estado do imóvel, ofertas na região, valores dos encargos, vagas de garagem, idade do imóvel e mobília.O que pode diminuir o valor?Imóvel mal conservado, rua barulhenta ou algum outro problema na vizinhança, sem vaga ou vaga de difícil acesso.E o que agrega valor?Bom acabamento ou modernização, vizinhança privilegiada, infraestrutura da região – metrô, escolas, supermercados etc.Quais itens do condomínio podem aumentar o valor do aluguel?Monitoramento, segurança, lazer, comodidade e limpeza.Qual o principal erro na hora de decidir o valor do aluguel?Se basear no aluguel anterior e não consultar um corretor de imóveis.Fonte: ZAP em Casa

Mais informações
small-blog

Consórcio Novo Recife - TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O NOVO RECIFE

01 - É pra admirar e se encantar65% de todo o terreno será da população, que vai ganhar parques novinhos em folha, com muito verde, ciclovias e espaços de convivência. São nada menos do que 65.000 m² de área, dentre as quais 16 mil m² só de área verde. A maravilhosa vista da Bacia do Pina é parte do Recife e continuará sendo dos recifenses.02 - Uma nova forma de viver o RecifeHoje em dia, quem caminha ou pedala pelo Cais José Estelita se arrisca entre os carros na hora de subir o Viaduto das Cinco Pontas. Nas etapas futuras do Projeto Novo Recife o viaduto será demolido, dando lugar a uma rotatória de carros. Assim quem caminha ou pedala para o Recife Antigo vai contar com uma nova via arborizada com vista para o Rio Capibaribe, partindo do Cabanga até o Marco Zero. É mais mobilidade para chegar no Recife Antigo!03 - História e modernidadeA gente olha para o futuro sem esquecer do passado. o projeto Novo Recife prevê a preservação de um conjunto de galpões próximo ao Viaduto das Cinco Pontas além das antigas casas dos funcionários e a oficina de eletrotécnica. Esses espaços serão administrados pelo poder público e pela iniciativa privada, ou seja, vão ser transformados em museus, cafés, comércio… E quando o viaduto for demolido, vai dar pra ver o Forte das Cinco Pontas da beira do rio.04 - Paredão não!Chega de grades e muros separando os prédios da cidade. Todos os empreendimentos do Projeto Novo Recife vão ser integrados ao parque. Na primeira etapa, inclusive, os 3 edifícios serão cercados por um lindo espelho d'água que vai compor a paisagem.05 - Modelo de urbanismoAs cidades estão mudando e a gente quer ser um exemplo disso. O Novo Recife terá calçadas com cinco metros de largura efiação embutida, pra você ver a paisagem, e não os fios. Tudo de acordo com os conceitos urbanísticos mais avançados do mundo.06 - Respeito à cidadeOs 13 edifícios que irão compor o projeto Novo Recife respeitam a paisagem urbana. As edificações que ficam mais próximas do bairro de São José terão uma altura bem menor, de 12 pavimentos, além de um recuo de 50 metros em comparação com os primeiros edifícios que ficam próximos ao Cabanga Iate Clube. Tudo para não perdermos a total vista do centro histórico.07 - É sustentávelTodos os edifícios terão telhado verde e as águas das chuvas serão reutilizadas para irrigação do parque e melhoria do ambiente no entorno.08 - É socialAs construtoras que fazem parte do Projeto Novo Recife assumiram um compromisso sério: construir 200 moradias de interesse social bem próximo do complexo urbanístico, a cerca de 300 metros do projeto.09 - É mobilidadeQuem anda pelo Centro do Recife sabe: a Avenida Dantas Barreto termina em um “paredão”. Todo o bairro de São José, aliás, tem poucas alternativas viárias. É aí que entra mais um benefício para a população. A avenida será conectada com o Cais José Estelita. É menos trânsito e mais integração para a cidade!10 - É de uso mistoTodos os edifícios do Novo Recife serão de uso misto, ou seja, com comércio e serviços no térreo. Dá para fazer compras com uma vista privilegiada do parque e da Bacia do Pina. E tudo isso sem paredões ou grades.11 - É empregoLogo na primeira etapa do Novo Recife já vão ser gerados 500 novos empregos. Assim que o complexo ficar pronto, serão gerados mais de 2000 novos postos de trabalho diretos e indiretos. Uma ótima oportunidade para quem vive na região.

Mais informações
small-blog

Conheça o Habite-se, um dos documentos mais importantes para empreendimentos imobiliários.

Na hora de comprar um imóvel, uma pergunta é comum em meio ao processo de negociação: o empreendimento tem o Habite-se? Pode soar apenas como uma mera formalidade, mas não é e essa documentação se torna bastante importante para quem vai adquirir um apartamento.Este é o documento expedido pela prefeitura da cidade onde o condomínio está localizado após as fiscalizações necessárias e atesta a conclusão da obra. Ou seja, ele serve como uma garantia de que a construção seguiu o projeto pré-estabelecido e também é importante porque tem uma série de questões relacionadas a ele, inclusive quando se trata do financiamento imobiliário. Saiba o que é o Habite-se e para que ele serve.Durante a construção, o empreendimento está registrado no cartório de registros como uma obra e, a partir da liberação do Habite-se e o registro dele no cartório, fica definido que este cenário está encerrado e que agora o edifício se tornou residencial e que os apartamentos podem ser ocupados. Para garantir o documento, é preciso que seja feita uma série de avaliações.“Existem regras e uma delas é que a prefeitura precisa fazer uma fiscalização para analisar se o projeto foi executado de acordo com o que estava previsto. Se o construtor fez diferente, tem que aprovar novamente porque, ao construir do zero, erros podem acontecer. Mas hoje em dia, com a qualidade que existe na parte topográfica, é difícil de sair algo errado”, explica Thiago Melo, vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE).Além disso, é necessária também uma fiscalização dos Bombeiros e que as ligações de energia e água estejam feitas para a emissão do Habite-se. E para o registro no cartório, também há outras exigências.“É preciso apresentar a certidão de quitação do INSS para provar que não houve funcionários que trabalharam sem carteira assinada. Pelo tamanho da obra e quanto tempo ela demorou, faz o balanço de quanto deveria ser recebido e faz um cruzamento com o que foi pago. O Habite-se sai se a obra foi executada com trabalho regularizado”, ressalta.O Habite-se também é fundamental para o consumidor que deseja comprar um imóvel no empreendimento. Principalmente para os que vão fazer um financiamento imobiliário.“Efetivamente, o bem só é considerado construído a partir do Habite-se e é a partir dele também que os bancos financiam. Eles só pagam o saldo para o cliente com o documento, é uma exigência para pagar para a construtora. Os bancos consideram que enquanto ainda está em obra ou não tem o Habite-se, há o risco de a construção não terminar. Mas quando tem a documentação, a carta de crédito pode ser liberada, o pagamento é feito à construtora e a dívida passa a ser entre o cliente e o banco”, detalha.Outro ponto que Thiago Melo ressalta para que os clientes tenham atenção diz respeito ao IPTU. “Enquanto está em obra, é o IPTU do terreno e que deve ser pago pela construtora. Mas a partir do Habite-se, o imposto passa a ser cobrado das unidades. É um marco importante de fim da obra”, conclui.Fonte: Zap Imóveis

Mais informações
small-blog

Mais um grande lançamento da Gabriel Bacelar !

O melhor da vida é viver bem e num Gabriel Bacelar é melhor aindaMadalena é um bairro tradicional, com característica residencial, mas cheio de serviços e espaços de lazer como praças e um dos mais conhecidos mercados públicos da cidade. Conta ainda com padarias, supermercados, lojas, academias, hospitais, escolas e cursos de idiomas.O Sainte Cecília tem tudo o que você precisa com o padrão de qualidade Gabriel Bacelar.CONHEÇAO BAIRRO DAMADALENAUma das regiões mais valorizadas da cidade do Recife. O bairro da Madalena tem tudo para facilitar a sua vida, como universidades, hospitais, bancos, padarias, drogarias, academias bares e restaurantes.

Mais informações
small-blog

Qual o impacto do blockchain no mercado imobiliário

De acordo com o IBGE, o mercado imobiliário é o terceiro maior gerador de divisas para o país, sendo responsável por cerca de 10% de toda riqueza gerada no Brasil.Diante deste cenário, como o blockchain pode facilitar operações de leasing, transações de compra e venda de imóveis, bem como incrementar as opções de financiamento para construção e venda de imóveis, e melhorar o atual sistema de registro imobiliário?Desafios do mercado imobiliárioPara criar uma possível vantagem competitiva, o segmento de imóveis costuma trancar a sete chaves alguns aspectos de suas operações, tais como comparação entre taxas, valores ​​de aluguel, preços de propriedades e avaliações, entre outros. Mas, em um mundo cada vez mais conectado, a tendência dessas informações é se tornarem públicas. Mesmo assim, apesar de cada vez mais informações sobre valores imobiliários estarem disponíveis digitalmente, as bases desses dados se encontram em sistemas diferentes, que não conversam entre si.Então, como obter a interoperabilidade entre os sistemas tecnológicos utilizados pelos diferentes participantes das transações imobiliárias, e trazer maior transparência neste mercado? O blockchain pode ser a resposta, mas antes é necessária uma avaliação criteriosa.Para solucionar o problema de baixa confiabilidade e acesso aos dados, nos processos de ‘leasing’ imobiliário e transações de compra e venda, o uso de blockchain precisa atender alguns conceitos:1) Banco de dados decentralizados: os bancos de dados compartilhados são essenciais para transações de ‘leasing’ e compra e venda (banco de dados comum). Um dos principais exemplos é um serviço de listagem múltipla, que agrupa bancos de dados com informações de propriedade dos agentes.2) Múltiplas entidades responsáveis pela coleta e validação de dados: transacionar e gerenciar propriedades imobiliárias envolve várias entidades, como proprietários, inquilinos, operadores, financiadores, investidores e prestadores de serviços, que fornecem, acessam e modificam uma variedade de informações.3) Solucionar a falta de confiança: como muitas vezes os participantes das operações de ‘leasing’ e compra e venda não se conhecem, gerando preocupações com a integridade dos dados, os mesmos precisam redobrar sua cautela e diligência. Nesse quadro, o blockchain pode ajudar a mitigar o risco com o uso. Por exemplo, com identidades digitais e sistemas de manutenção de registros mais transparentes para títulos imobiliários, direitos, penhoras, financiamento e arrendamento.4) Oportunidade de desintermediação: validadores da confiança podem facilitar a desintermediação pelo blockchain, oferecendo maior segurança e transparência na gestão de títulos de propriedade.5) Transações condicionadas: muitas transações imobiliárias possuem cláusulas condicionais. Uma transação de compra e venda que dependa da aprovação de um financiamento, por exemplo, poderia se beneficiar com o uso de contratos inteligentes. De modo sucinto, os contratos inteligentes são protocolos de computador autoexecutáveis que são armazenados, verificados e executados em uma blockchain.Algumas vantagens do blockchain no mercado imobiliário:Permite tomadas de decisão mais inteligentes;Transparência e agilidade na gestão de propriedade e fluxo de caixa inteligentes;Processamento de financiamentos e pagamentos mais eficiente;Melhora o processo de pesquisa de propriedade.A arquitetura blockchain não será a solução para todas as ineficiências dos processos existentes no mercado imobiliário. Mesmo porque, não é possível automatizar completamente todas as transações.Uma primeira onda de soluções blockchain para o mercado imobiliário depende da compilação e digitalização de informações relativas ao mercado imobiliário. Tais informações, hoje centralizadas, serão, num futuro próximo, disponibilizadas em plataformas descentralizadas, possibilitando a programação de contratos inteligentes.Nesse quadro, soluções de blockchain têm o potencial de gerar transparência, eficiência e redução de custos no mercado imobiliário. Sua arquitetura pode remover muitas das ineficiências existentes nos atuais processos. Contudo, é primordial que empresas e participantes do setor imobiliário reavaliem com urgência suas competências, qualidades e ineficiências. A revisão dos sistemas atuais, com foco em soluções de blockchain, pode ser um ótimo começo.Este artigo contou com a colaboração de Tatiana Revoredo, Blockchain Strategist pela University of Oxford, e pelo MIT – Massachusetts Institute of Technology.Fonte: IT Forum 365

Mais informações